Jump to content

Agentman

Admin
  • Content count

    9,275
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    15

Everything posted by Agentman

  1. LOL SNES faz esses efeitos ai com a mão nas costas, bem básicos principalmente esse do segundo vídeo. Enfim, o jogo é feio para os padrões do console, mas se sai muito bem na velocidade.
  2. Então, mas em Super Aleste é notório que o pessoal abriu mão de efeitos pra fazer o jogo rápido como todo Aleste deve ser. Só que, na minha opinião, ficou um jogo feio e muito aquém da tradição dos Aleste anteriores. E músicas ruins também, mas aí é outro departamento. Se tivessem investido nos efeitos que o hard do SNES oferece, o jogo não ia ser rápido nem fodendo.
  3. Fique a vontade! Até deixo aqui o "projeto de projeto" original pra facilitar. Só que depois que mudei pra outra casa, aproveitei que ia ter que desmontar e pedi ao marceneiro pra diminuir 5cm de altura de cada fila de nicho para as TVs ficarem numa altura melhor e ainda acomodar bem os consoles mais trambolhos.
  4. Há quem reforce os hacks vendidos hoje nas lojas com cantoneiras pra aguentar o tranco, mas eu preferi mandar fazer um móvel isso e colocar os consoles sempre prontos pra jogar embaixo (as gavetas seriam pra guardar controles, acessórios, etc...). (não repara a bagunça pq eu ainda tava ajeitando tudo depois da mudança) Sobre a questão da melhor imagem, dois pontos: - Imagino que sua distância do sofá pra TV CRT não pode ser maior que 2m se for a de 29'...se escolher a de 21' então, ai teria que ser menos pra poder jogar e perceber a beleza das scanlines (eu iria de 29'). - Se é pra aproveitar o máximo que os retroconsoles podem apresentar, sugiro pensar na ideia de investir no conjunto conversor rgb/component + cabos.
  5. Esse jogo pro hard do SNES é uma pedrada mesmo. Sempre falamos aqui que se saísse pro Meguinha, não ia ser esse stop-motion que é no SNES, hein!
  6. Só Alien 3 não precisaria estar nessa lista. Depois de decorado, fica fácil, zera em uma sentada.
  7. Bom, eu tenho a opinião que emulação é uma coisa, e implementação em FPGA é outra, até porque este último recria o hardware e foca nessa tarefa apenas. Não é como um emulador no PC, que concorre com outras tarefas ao mesmo tempo e isso pode até prejudicar a experiência...daí a vantagem de um hardware recriado em FPGA. Outro ponto que dou vantagem ao FPGA é o conceito de se poder usar praticamente todo aparato/acessório que se usaria no hardware original. Ex: o 1chipMSX (OCM), talvez o precurssor desse conceito, vem com duas entradas pra cartucho como nos MSX antigos, entrada pra teclado e controles antigos e outros periféricos, além de rodar na linguagem Basic ou DOS 2.0 e pra rodar os jogos em disquete ou cassette se utiliza das mesmas linhas de comando que eram usadas nas máquinas antigas. Claro, há também os programas facilitadores, que seriam impossíveis antigamente mas que hoje em dia até rodam no hardware original da época (sofarun e nextor por exemplo), mas você usa apenas se quiser. Por isso o feeling de se usar as máquinas antigas ainda existe e é até prazeroso se bater quando vc não sabe/lembra/entendeu a linha de comando necessária pra fazer aquela tarefa e depois consegue.
  8. Entre os retromicreiros isso já estourou faz uns bons meses. Até o Luo tem um Mística...
  9. Aaaaah...aí melhorou, hein!! GB original é foda, todos devem estar com algum defeito crônico hoje em dia...sempre vejo alguém falando que precisa trocar a tela. Daí permanecer com ele só pra quem é xonado no portátil mesmo, senão é partir pra esses clones melhorados.
  10. Só de não ter a tela na proporção certa já cagou tudo.
  11. Qual seu último jogo retro zerado?

    O negócio é economizar bombas e gastar ali só mesmo na hora H pra não morrer. É verdade, agora que você falou eu lembrei...mas não lembro de cabeça algum jogo que tenha, a não ser RE4.
  12. Qual seu último jogo retro zerado?

    [MD] Dangerous Seed Todo navinheiro o considera um shmup "de entrada", mas me deu um trabalho pra finalizar...eu sempre chegava perto das fases finais e morria, perdendo todos os upgrades. O verdadeiro desafio pra mim então foi chegar até o chefe final numa tentativa apenas. Quando consegui, zerei sem muita dificuldade. [GC] Luigi's Mansion Jogo engraçado e divertido do início do Gamecube. Bons efeitos de iluminação pra época. Sem muita dificuldades pra fechar, mas como é meio que padrão pra jogos da Nintendo, o desafio é zerar novamente em dificuldade mais elevada pra conseguir todos os colecionáveis. Curiosidade: comecei jogando no Gamecube mas da metade pra frente troquei para o Wii, entrando no jogo pelo Nintendont pra conseguir jogar em 16:9 real. A imagem não fica esticada, provando que a Nintendo travou essa opção quando lançou o Gamecube. Talvez pelo fato de que naquela época telas wide ainda não eram populares?
  13. Temáticas de jogos

    Não sou muito chegado a mundo aberto, mas abro exceção por Assassin's Creed pela temática histórica que acho interessante. GTA e similares eu passo reto. Não me interessa ter aquele feeling de interagir com o que quiser no cenário, roubar carros, atropelar sei nem quem, matar por esporte e fazer missões na pele de bandidos. Reconheço que esse tipo de jogo tem muito apelo comercial e tecnicamente só vem evoluindo, porém não me atrai. Só joguei mesmo GTAIII quando tudo era novidade e depois de um tempo, larguei pra lá. Quer dizer então que não curtiu Flashback, Another World, Strider, Snatcher?
  14. Qual seu último jogo retro zerado?

    Não necessariamente. Repare que eu disse que usei as mesmas táticas, mas pra descobrí-las, sofri no Switch. Certeza que se tentasse primeiro no SNES sofreria da mesma forma. A diferença mesmo é que no SNES a tela 4:3 não deixa ver todo o cenário e mesmo que deixasse, ele ainda é menor que no Reloaded. Já o Reloaded com tela em 16:9 compensa essa "facilidade" com trechos um pouco maiores (tipo, a fase do trem em movimento...há mais vagões e consequentemente mais inimgios por vir) e inimigos que demoram um pouco mais pra morrer...pelo menos foi esse o meu sentimento. Joguei ambos na dificuldade normal.
  15. Qual seu último jogo retro zerado?

    +1 [SNES] Wild Guns Aproveitando que havia fechado o Reloaded no Switch há alguns dias, me aventurei no raiz. Sofri um bocado no Switch, mas utilizando as mesmas táticas, foi bem mais suave conseguir terminar o antigo. Notei inimigos que morrem mais rápido e algumas partes do cenário mais curtas, porém notei também menos locais seguros pra ficar em relação à tela 16:9 do remaster. No mais, ótimo desafio!
  16. Qual seu último jogo retro zerado?

    http://www.amusementfactory.com.br/msx/snatcher/
  17. Provável. Interessante que o lançamento US tinha um protótipo quase completo https://tcrf.net/Proto:Arcus_Spirits
  18. Tens razão. Bola fora no SFC...
  19. Se for o que to pensando, substituíram esse efeito pelo mode7 do SFC
  20. Tenho esse jogo pro Super Famicom, porém ele se chama Arcus Spirits no console da Nintendo. As músicas são igualmente boas, mas perdem um pouco aquela identidade do driver de som que só o Wolf Team usava no Meguinha. Efeitos de água, etc também são um pouco diferentes, alguns melhores, outros piores. A abertura tanto no Mega quanto no SFC ficaram incríveis, gosto muito. Mas pra mim, a grande diferença mesmo aparece na hora de jogar...o direcional em cruz do controle original é uma merda pra ficar se movimentando nas diagonais, principalmente em um jogo de ação quase non-stop como esse! Acabei comprando um controle com direcional parecido com do Mega Drive pra poder jogar melhor. Curiosidade seu lançamento para SNES nos EUA foi cancelado...já tinha até capa: Conseguiu ser pior que a capa do Genésio Mas enfim, belo jogo pra ambas as plataformas
  21. Também sou mais fã da franquia clássica e "tolerante" aos jogos modernos que são cópias competentes do Super Metroid (o qual ainda prefiro). Não posso reclamar (muito) dos jogos da Konami para Mega Drive, pois pude aproveitá-los bem na época certa, principalmente Rocket Knight Adventures e Tiny Toon (que é melhor que o do Super Fezes sem dúvida). TMNT também joguei, porém mais depois de sua época e digo que não consigo me decidir se curto mais ele ou a versão do Super Fezes. Pra mim, no Super Fezes esse jogo é melhor nos efeitos e fidelidade ao original e no Meguinha eu gosto das músicas e jogabilidade (sim, é mais fluída e gostosa de jogar). Contra eu gosto de ambas as versões também, mas me identifico mais com a "pauleira tecnográfica" do Hard Corps justamente porque o jogo é A CARA DO MEGA, enquanto Contra 3 é uma evolução natural dos games de Nintendinho mesmo. Agora o Bloodlines e SCIV eu não joguei na época que saíram, só joguei mais tarde. Concordo com as críticas, mas todo mundo hoje em dia já sabe que o Bloodlines existe porque não deixaram a Factor 5 portar o SCIV pro hard da SEGA e pensando bem eu fico até feliz que isso não tenha acontecido. Bloodlines tem seus próprios méritos e manda bem. O jogo é gostoso de jogar, os chefes são legais, os efeitos são ótimos e as músicas ainda são lembradas como parte das melhores que apareceram no Mega Drive na minha opinião, mesmo o chip de som não favorecendo as do tipo orquestradas que no Super Fezes ficaram ótimas com SCIV. Michiru Yamane provou que poderia fazer coisa boa e o resultado a levou a compor pra outros jogos memoráveis da franquia. Curto muito o SCIV mas ele têm defeitos que irritam um pouco como por exemplo uma estranha lentidão (o jogo já era lento por concepção), mas por outro lado a música é soberba e a ambientação é perfeita. Enfim, onde um console geralmente falha, o outro se supera e por isso gosto de curtir os dois mundos igualmente.
  22. Qual seu último jogo retro zerado?

    Sim. Por isso e pelo desafio resolvi encarar. Achei parecido com Aladdin e Rei Leão. Também pudera, né...a série animada também é da Disney.
  23. Qual seu último jogo retro zerado?

    [Mega Drive] Gargoyles Taí um jogo que é difícil pela dificuldade de domínio dos controles, mas que pega mesmo é a imprevisibilidade das investidas dos inimigos. Espere muita raiva em algumas partes. Melhor se jogado com paciência, pra aprender a se safar das bizarrices das fases. Ah, não jogue estressado, pois não vai render. XD
  24. Ache o erro..

    Que delícia essa imagem. Minha mãe comprou uma dessas de 20' com tela solar remoível. Claro, ela colocou no seu quarto e deixou a velha na sala mesmo pra eu jogar Atari. Acho que ainda era uma Mitsubishi de 16' com botões de canais que não se seguravam mais XD
  25. Qual seu último jogo retro zerado?

    Muito tempo que não posto nesse tópico, minha Nossa! Mas fechei algumas coisinhas boas nesse meio tempo: [SFC] Ghost Sweeper Mikami Plataforma de um Anime comédia. Não oferece tanto desafio, mas tem uma jogabilidade diferente. [MD] Top Gear 2 Peguei aquele hack que puxa as faixas de áudio de CD gravado rodando no SEGA CD. Ficou bem melhor de jogar! [PSP] Castlevania Symphony of the Night (extra do Castlevania Dracula X Chronicles) Esse foi engraçado...eu queria finalizar essa versão pra ver as diferenças sobre a original de PS1 e fiz de tudo pra que a imagem não ficasse aquela porcaria embaçada com filtro bilinear que a Konami fez o desfavor de entregar. Short long story: um PSPgo, uma base carregadora com saída pra TV em video componente, uma Sony LED com zoom pra portáteis, um XRG3 + VGA2HDMI adapter e muita experimentação! No final, consegui uma imagem surpreendentemente boa, pau a pau a que um PS1 em RGB geraria. [MD] Shiten Myooh Plataforma básico pro Meguinha onde você tem uma vida de cada guerreiro pra chegar ao final. [MD] Thunder Force III Que joguin de navinha sensacional. Pode parecer mais simples e menos bonito que muitos outros do sistema, mas as músicas e visual dos planetas (destaque para o efeito de fogo em Gorgon) já bastam pra conquistar fãs. [SFC] Thunder Spirits Aproveitei a deixa e já emendei jogatina nesse game pra comparar com a versão original do Mega. E que decepção! Trabalho porco que fizeram no SFC. Lentidão é a palavra de ordem nessa conversão do Arcade. Lamentável... [MD] Advanced Busterhawk Gleylancer Shmup muito agradável de jogar com desafio na medida e uma pixelart fodona. Já começa lindamente no cinturão de asteróides. [SAT] Game Tengoku - The Game Paradise) Shooterzin famoso por se passar bizarramente dentro de um Arcade japonês. o_0 Dá pra finalizar de boa...mas a treta mesmo é fechar sem continues. [PS1] Mad Panic Coaster Jogo do capiroto! Controles ridículos mas que vá lá...dá pra se acostumar depois de um tempo porém escolhendo um controle dos mais confortáveis. Como não tenho esse original, resolvi emular no PSPgo primeiro, mas logo desisti pq não tinha como remapear o direcional para os analógicos, daí emulei no PSvita e fui até o final. O chefe final é uma paródia tosca de um personagem dos mais conhecidos do mundo dos games! [SCD] Lunar - Silver Star Eu só tinha zerado antes o remake do PlayStation e achei surpreendente como a versão original é diferente é muita coisa! Mesmo assim, é um jogaum e belo exemplo de RPG oldschool. [PS2] Onimusha Warlords PlayStation2 já pode ser considerado retro? Acho que sim, né. Joguinho bacana mais ou menos seguindo a fórmula de qualquer RE raíz. De início fui revezando o jogatina entre essa versão e a de Xbox, pra conferir as diferenças...mas acabei empacando em ambas no maldito puzzle do afogamento e daí resolvi seguir até o final com a versão do PS2 por ser mais fácil de zerar. [FDS] Metroid Finalmente peguei esse jogo pra jogar a sério no hard original. Já o tinha fechado há muitos anos pelo emulador NESTERDC no DRIM Fodaum! Achei da hora o som ser melhorado em relação à versão de NES, inclusive com os grunhidos dos inimigos. [SCD] Flashback Aproveitando que eu estava numa vibe cyberpunk para jogos, resolvi ir até o fim nessa versão. Seria a escolha lógica, já que eu já havia finalizado há anos a ótima versão de Meguinha. Curti muito a experiência, pois meu setup já contava com RGB à aquela altura e as cutscenes em CG também seriam um bom diferencial perante as versões antigas. No fim também valeu uma breve revisitada em outros ports, um bom assunto para um episódio do podcast da Resistência Retrogamer e a certeza que joguei a melhor versão possível do clássico para consoles caseiros. [MSX] Snatcher Ainda na pegada cyberpunk, um retro que sempre tive vontade de finalizar no MSX pra ter a experiência e passar pelas dificuldades...SCC+ sound, uso do teclado, troca de discos (mesmo que simulado) e claro, todos os revezes embutidos, como travamentos, loadings entre os swap disks, etc... Incrível como um jogo tão antigo tem seus momentos de quebra da quarta parede...foi uma baita experiência!! Optei por jogar com a tradução em pt-br, muito divertida em certos momentos por ter uma pegada "Yu Yu Hakusho" no uso de termos e referências locais. [MD] Crude Buster (a.k.a. Two Crude Dudes) Primeira vez que peguei esse joguinho divertido pra jogar "à sério" e rendeu boas horinhas de diversão pura e simples. Imagino que em 2P fique uma zona na tela. Recomendo pra quem ainda não fechou ou pra quem quer uma diversão mais descompromissada. [SNES] Magic Sword Bom port de arcade da Capcom para o SNES. Foram algumas tentativas pra passar as 50 fases dentro dos continues limitados, ou seja, se prepare pra raiva!!. Ainda mais quando o slowdown recorrente em telas cheias de inimigos fuderem sua vida Mas é um jogo divertido e o desafio faz parte disso. [SFC] Godzilla Kaijuu Daikessen Acabei fechando o jogo ajudando o filhão na empreitada. Não fede nem cheira pra um jogo de uma franquia que nunca apresentou jogos memoráveis mesmo. Vale 01 horinha. [NGCD] A Próxima Glória: Super Sidekicks 3 Consegui esse jogo numa troca bizarra (eta jogos de WiiU que não provocam mais interesse em ninguém). E que joguinho com dificuldade safada! Mas nada fora do que esperamos encontrar em jogos tipicamente arcade-ranca-ficha, né? Destaque pra dublagem em português carioca da mais alta qualidade, huahahahaha!! [MSX] Yuureikun (a.k.a. MrGhost) Taí uma jóia escondida de verdade!! Jogabilidade que causa certa estranheza no início (back attack?) mas que no decorrer da jogatina se mostra redondinha e que torna o joguinho bem desafiador, fora as fases e chefes bastante criativos. Tomei conhecimento desse puta joguinho lendo a revista Clube MSX, onde noticiava a recente tradução do jogo para o inglês, o que me incentivou a correr atrás da ROM pra aplicar o IPS e jogar. Altamente recomendado pra quem curte os jogos japoneses das antigas! ======= Bom, acho que de retro foi o que aproveitei durante esses mais de 18 meses sem postar no tópico. Espero conhecer e aproveitar mais jogos retro durante o ano que vem e ficar menos tempo sem postar.
×