Jump to content

rcaropreso

Membro Ativo
  • Content count

    11,643
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    69

rcaropreso last won the day on August 8

rcaropreso had the most liked content!

Community Reputation

1,078 Contribuidor oldschool

About rcaropreso

  • Rank
    Olá... Até mais! Cumprimento, ergo sum!
  • Birthday 09/15/1976

Contact Methods

  • Website URL
    http://
  • ICQ
    0

Previous Fields

  • Registro Inicial
    10/04/2001

Recent Profile Visitors

12,881 profile views
  1. Olá, RT é pesado para caralho... tem que calcular a equação de reta de cada raio, juntamente com o calculo fisico dos efeitos (difração de luz, refração, reflexão difusa, etc). Mas as placas estão "começando a conseguir" processar... então de fato, mais algumas gerações e isso vai estar no ponto.
  2. Olá, Eu não vi o vídeo inteiro da entrevista ali em cima, mas me parece que a principal "inovação" para melhorar os gráficos foi o uso do Ray Tracing, correto? Se for o caso, levou praticamente 20 anos para que o hardware tivesse poder suficiente para rodar o algoritmo em "tempo real" (já que, durante boa parte desse tempo, o RT era aplicado em imagens estáticas). A técnica não é inovadora, mas a possibilidade de ser usada mais "facilmente", aí abre "portas" ...
  3. Olá, No gráfico da renda per capita, dá pra ver nitidamente os "eventos mundiais" e como estes afetaram o Brasil. Na década de 80: a hiperinflação No início da década de 90: um pico no governo Collor antes de desandar geral com impeachment Ainda na década de 90: primeiro mandato do FHC, estabilização do Plano Real Final da década de 90: crise asiática e início do "cambio flutuante" no Brasil (logo no início do 2o mandato do FHC) Governo Lula: período de muito crescimento no PIB MUNDIAL (no gráfico que eu olhei, tinha a Venezuela e a China seguindo a mesma trajetória do Brasil - e o Lula não estava lá nesses países) Governo Dilma: a partir de 2010, começa o "desmoronamento" do PPC, seja pela "marola" da crise de 2008, seja por diversos fatores discutíveis. Se não encontraremos um messias no Jair Bolsonaro, certamente não o encontramos em Lula (é óbvio que o Brasil de 2010 é melhor que o de 2002, porém o de 2002 é melhor que o de 1994, goste disso ou não, concorde com isso ou não). Curiosamente no gráfico, o PIB Per Capita do Brasil e da China praticamente se igualam em 2017... levando-se em conta a discrepância brutal das populações dos dois países, dá pra ver o tamanho da locomotiva chinesa. Olá, Por mais que se diga isso, de um modo geral, petistas discordam (muitos acham que se fosse outro governo, o país não teria crescido). EDIT: Esse gráfico aí de cima não é grande coisa, mas o Brasil (vermelho), em vários momentos entre 2000 e 2010 "cresceu" abaixo da "média mundial", acompanhando as "tendências". Me lembro de comparativos entre os BRICS e mesmo entre países da América do Sul onde, em alguns anos, o crescimento do PIB brasileiro foi equivalente ou até menor que o do Chile, por exemplo. Dar "todo" o credito do crescimento do país ao Lula é, um certo exagero... o maior mérito dele é ter investido sua energia em tirar o Brasil do mapa da fome (o que não é pouca coisa, mas mesmo assim eu esperava mais dele).
  4. Olá, Ele está numa saia justa com o STF, por causa das investigações contra ele... se quiser fazer um agrado, ele aprova. Vetar, do ponto de vista DELE... não vai ajudar em nada.
  5. Olá, Se fosse feito uma espécie de jogo no estilo "Red Dead Redemption", porém usando a ambientação da América Central e do Sul, ficaria bacana. O sujeito seria uma espécie de "bandeirante" visitando as vilas, eventualmente encontrando aldeias indígenas... e num mapa realmente grande, poderia encontrar algumas das grandes civilizações da America Central (Incas, Maias, Aztecas). Claro que precisa de uma empresa grande para algo assim, mas existe material para deixar um jogo assim bem ambientado e bacana (não estou comparando diretamente com o jogo do tópico, mas apenas mencionando que é possível elaborar jogos com este tipo de temática).
  6. O Fórum UOL está em processo de desativação.

    Olá, O tópico já mereceu ir pros Arquivos depois dessa.
  7. Olá, Compare com a choradeira do torcedor de futebol quando seu time perde final do campeonato... é a mesma coisa ou não é?
  8. Olá, O incrível é a repórter tentar argumentar que um sujeito com um fuzil na mão pode não necessariamente ser uma ameaça. E no Brasil, onde temos o estatuto do desarmamento. Neste caso, eu acho que a polícia deveria fazer a abordagem suave que ela pede... Desde que a repórter e o cinegrafista da Globo acompanhem bem de perto a ação, lá no morro.
  9. Olá, Eu me lembro desse aluno vagabundo da Unicamp apagando a lousa do professor... o aluno é de geografia e foi encher o saco no instituto de matematica. MAS... ele se fodeu: foi suspenso por dois semestres https://www.acidadeon.com/campinas/cotidiano/policia/NOT,1,1,1264361,Unicamp+nega+recurso+de+aluno+que+apagou+lousa+professor.aspx
  10. Olá, Este ano, o evento "Atrasados do ENEM" será épico.
  11. Olá, Um pouco de bom senso: https://www1.folha.uol.com.br/ambiente/2018/11/bolsonaro-recua-em-fusao-de-meio-ambiente-e-agricultura-e-diz-nao-querer-xiita-ambiental.shtml Bolsonaro recua de fusão de Ambiente e Agricultura e diz não querer xiita ambiental Possível união de ministérios foi criticada por ministros, ex-ministros, ambientalistas e agronegócio 1º.nov.2018 às 15h31 Ouvir o texto Diminuir fonte Aumentar fonte Phillippe Watanabe SÃO PAULO O presidente Jair Bolsonaro (PSL) declarou que "pelo que tudo indica", os ministérios do Meio Ambiente e Agricultura permanecerão separados, e que a pasta ambiental será comandada por alguém que não seja "xiita" na defesa do ambiente. Bolsonaro afirma que a ideia da fusão foi discutida e que possivelmente será modificada. "Serão dois ministérios distintos, mas com uma pessoa voltada para a defesa do meio ambiente sem o caráter xiita, como feito nos últimos governos", diz. A declaração foi dada nesta quinta (1º) em entrevista a televisões católicas. Jair Bolsonaro e Luiz Antônio Nabhan Garcia, presidente da UDR (União Democrática Ruralista) - Marcelo Teixeira/Reuters "O Brasil é o país que mais protege o meio ambiente", diz o presidente. "Nós pretendemos proteger proteger o meio ambiente, sim, mas não criar dificuldades para o progresso." O aceno para um recuo já havia sido feito no final da tarde desta quarta (31) por Luiz Antônio Nabhan Garcia, presidente da UDR (União Democrática Ruralista). Segundo ele, a questão só será definida “ao longo de muita conversa”. Antes da eleição, Nabhan Garcia, após reunião com Bolsonaro e ruralistas, já havia falado sobre uma possibilidade de rever a decisão da fusão. A fala, contudo, foi contestada Onyx Lorenzoni, futuro ministro da Casa Civil, que negou recuos em relação ao tema. “Ninguém recuou nada. A questão da agricultura, alimentação e meio ambiente é uma decisão desde os primeiros passos do plano de governo.” A unificação das pastas era uma promessa de campanha do capitão reformado. Depois, ele se disse aberto às sugestões de setores do agronegócio que defendem a manutenção da separação. A afirmação de Bolsonaro ocorre após críticas dos atuais ministros do Meio Ambiente, Edson Duarte, e da Agricultura, Blairo Maggi. A ideia também recebeu oposição de oito ex-ministros do Meio Ambiente, de ambientalistas e de setores do agronegócio. Duarte afirmou que a fusão poderia trazer prejuízos para ambas as pastas, inclusive para o agronegócio. Maggi, que tem atuação como investidor no setor de soja, lamentou via Twitter a possibilidade de fusão e afirmou que a decisão traria "prejuízos incalculáveis ao agronegócio brasileiro". Os últimos quatro ministros do Meio Ambiente também criticaram a possível fusão em entrevistas à Folha. Segundo Marina Silva (Rede), a união se daria entre o órgão que tem a função de fiscalizar com o que é fiscalizado. Carlos Minc, sucessor de Silva na pasta, a decisão seria o maior retrocesso dos últimos 50 anos. Izabella Teixeira, ex-ministra e sucessora de Minc, diz que a ideia demonstra desconhecimento da dinâmica de tomadas de decisão das pastas e que a fusão seria um apequenamento de ambos os ministérios. Sarney Filho (PV-MA), ex-ministro do Meio Ambiente do governo de Michel Temer, classificou a fusão como uma tragédia para o Brasil e para o mundo. Especialistas ambientais e ONGs também se demonstraram preocupação com a possível fusão. Segundo eles, a união poderia promover um aumento do desmatamento e maior violência no campo. O agronegócio se mostra dividido quanto a possibilidade. O temor é que a união traga problemas exclusivamente ambientais para serem tratados pelo setor agrícola.
  12. Parabéns Minda!

    Olá, Parabéns!
  13. Cirão da Massa: Lavando a alma...

    Olá, Engraçado, eu acho que o Doria faz a mesma coisa ... por isso que não votei nele.
  14. Cirão da Massa: Lavando a alma...

    Olá, Ele meteu fumo lindo no PT.
×