Jump to content

rcaropreso

Membro Ativo
  • Content count

    11,405
  • Joined

  • Last visited

  • Days Won

    65

Everything posted by rcaropreso

  1. Olá, É que tem a triangulação realizada pelas antenas de sinal, conforme o Reef comentou. O Wi-Fi tem mecanismos de "anunciação" (advertising) onde o aparelho e a antena ficam trocando informações basicas de protocolo (mesmo sem efetuar a conexão). Tem uma ferramenta da Cisco (Cisco CMX) que faz exatamente isso: https://www.cisco.com/c/en/us/solutions/enterprise-networks/connected-mobile-experiences/index.html Então dá pra rastrear o caboclo? Sim. A alternativa é "não ter celular" OU garantir que ele está 100% desligado (o que nos dias de hoje é difícil, já que a bateria normalmente não é removível).
  2. Olá, Hmm, acho que não... agora a galera da "terraplanagem" pira: Resumo da opera: o dono da SpaceX (que também é dono da Tesla - carros elétricos) resolveu fazer um "marketing 2-Hit-combo fatal"): - fez um teste do seu maior e mais potente foguete (pra poder vender "serviços" a agências como a NASA) e junto com a carga de teste, mandou um carro novo da Tesla pro espaço. O carro está órbita e tinha várias cameras com livestream no youtube, onde se observa a Terra redondinha ao fundo. A tecnologia "sensacional" da SpaceX no momento é o "retorno dos foguetes" à base de lançamento (que está bem avançada), fato que vai reduzir pra cacete os custos de lançamentos. https://tecnologia.uol.com.br/noticias/redacao/2018/02/07/lancamento-da-spacex-foi-2-livestream-mais-visto-da-historia-do-youtube.htm Lançamento da SpaceX foi 2º livestream mais visto da história do YouTube 07/02/201810h14 Jim Watson/AFP Com quatro anos de atraso, o foguete Falcon Heavy finalmente chegou ao espaço Após anos de preparação, a SpaceX lançou nesta terça-feira (6), com sucesso, o Falcon Heavy, seu foguete que, no futuro, deve ser responsável por viagens espaciais comerciais. Por ser um momento importante na história da exploração espacial (dando certo ou errado), o lançamento feito no Cabo Canaveral, nos EUA, alcançou outro marco importante: ele é oficialmente a segunda maior transmissão ao vivo da história do YouTube. O livestream, exibido no próprio canal da SpaceX, chegou a um pico de 2,3 milhões de espectadores simultâneos. Desde então, a transmissão foi assistida cerca de 11 milhões de vezes (e contando). Veja também: Conheça o "motorista-astronauta" que deve ir para Marte em um Tesla Elon Musk, bilionário e inventor, demonstra seu novo... lança-chamas Que piração: como será o posto de recarga de carros elétricos da Tesla Apesar dos números impressionantes, o lançamento do Falcon Heavy não chega nem perto da transmissão ao vivo mais vista na história, que foi o salto de paraquedas feito da estratosfera por Felix Baumgarter, em 2012, que chegou a atrair 8 milhões de pessoas. De qualquer forma, a SpaceX também fez mais um livestream no mesmo dia, mostrando o que o foguete levou ao espaço: o Tesla Roadster do CEO da empresa, Elon Musk, que originalmente deveria seguir para Marte, mas cuja rota agora deve ficar no cinturão de asteroides entre a Terra e o planeta vermelho. Divulgação O Tesla Roadster vermelho (e seu "piloto") enviado ao espaço pelo Falcon Heavy Já o Falcon Heavy conseguiu voltar à superfície, embora seu pouso tenha danificado parte de sua estrutura, o que significa que vamos ter que esperar um pouco mais de tempo antes das sonhadas viagens espaciais comerciais.
  3. Olá, Conforme o esperado... está somente "jogando para a torcida" pra ver se ganha alguma "simpatia e apoio" para a votação da Reforma da Previdência.
  4. Olá, Se o Corsário frequentasse este fórum ainda, ele viria aqui para postar: "EU AVISEI". Olá, Se não quiser ser rastreado... vai ter que desligar o celular ou talvez comprar aqueles básicos que só tem função de discagem.
  5. Olá, Sim, deveria mesmo. Se as ações ficarem "limitadas" por "frescuras jurídicas", não vai rolar. Infelizmente, a situação está fora de controle e não está mais no momento da "conversa". Tem que arrebentar tudo e depois que acalmar, voltar a discutir as medidas que tem que ser tomadas "no começo" (educação e mais qualidade de vida para moradores dessas comunidades) para evitar que algumas das pessoas que moram em favelas acabem indo na direção errada. Aliás, deviam aprovar a obrigatoriedade de bloqueadores de celulares "pra ontem". E também aquele "parlatório" no presídio, onde o preso fica de um lado do vidro e a visita ou advogado, fica do outro. EDIT: Só precisa ficar atento se não é mais uma daquelas ações inúteis "pra inglês ver" (afinal, tem eleição esse ano... e se já tinha nego "putinho" só porque não foi convidado pra reunião, imagine se não há interesse por trás de uma intervenção dessas): https://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2018/02/17/relatora-da-intervencao-no-rio-aponta-falta-de-dados-no-decreto.htm Relatora da intervenção no Rio aponta falta de dados no decreto Renan Truffi Brasíia 17/02/201818h28 Alan Marques / Folhapress A deputada federal Laura Carneiro (MDB-RJ) Escolhida para ser a relatora do decreto presidencial 9.288/2018, que formaliza a intervenção federal no Estado do Rio de Janeiro, a deputada Laura Carneiro (MDB-RJ) já está trabalhando no relatório que deve ser apresentado nesta segunda-feira, 19, durante sessão de discussão da medida, na Câmara dos Deputados. Favorável à ação federal, a parlamentar questiona, no entanto, a ausência de detalhes sobre recursos e estratégica de atuação no decreto editado pelo Palácio do Planalto. "Estou aqui num imbróglio porque tem alguns textos que deveriam estar no decreto e não estão. Onde estão os recursos (para a intervenção)? Qual é a estratégica básica pelo menos? (Falta) pelo menos exemplificar, determinar a base da estratégia, como a contenção das fronteiras do Rio, por exemplo", criticou. A deputada relatou que irá conversar com o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), para saber como atuar já que, segundo ela, não é possível alterar o teor da medida, como acontece em outras pautas em tramitação na Casa. "Vou conversar com deputado Rodrigo Maia. O decreto fala em usar os recursos do Estado. O Orçamento (para a Segurança Pública) no Rio de Janeiro é de 8 bilhões (por ano), mas quanto efetivamente você tem? A questão é qual a estrutura que basicamente o (general) Braga Neto vai ter?", disse. Por fim, Laura Carneiro comparou a situação com a de uma guerra. "É como se você fosse para um guerra sem saber os recursos que você tem. Não é de pessoal não, é de logística. Tem que ver como vai ser feito, é uma questão mais técnica. E a gente (vai) especificar recursos da União", explicou.
  6. Olá, AEEEEEE... ACABOU HORÁRIO FILHO DA PUTA!!!
  7. Olá, Tirando o tradicional "mimimi" de "armas versus desarmamento" com aquelas frases feitas para os dois lados, fica a dúvida: - defender o porte de armas pela população é uma coisa... mas permitir a compra LEGAL de FUZIS, como o AR-15? Acho que o "limite da arma" que um americano poderia comprar deveria ser menor do que isso... rifles, fuzis e metralhadoras já estão um pouco fora do "escopo" daquilo que se alega como "direito a própria defesa". https://www1.folha.uol.com.br/mundo/2018/02/atirador-de-escola-na-florida-comprou-fuzil-legalmente-diz-fbi.shtml Atirador de escola na Flórida comprou fuzil legalmente, diz FBI Empresa de Coral Springs vende armas longas e pistolas também pela internet Imagens de câmeras de segurança mostram Nikolas Cruz (de uniforme laranja), ao lado da advogada, no momento em que foi indiciado no tribunal do condado de Broward, na Flórida - Susan Stocker - 15.fev.2018/South Florida Sun-Sentinel/Associated Press 15.fev.2018 às 22h00 Estelita Hass Carazzai WASHINGTON O fuzil automático AR-15 usado pelo adolescente que matou 17 pessoas numa escola na Flórida, nesta quarta (14), foi comprado legalmente pelo próprio atirador, cerca de um ano atrás, informou o FBI. A arma foi adquirida numa loja de Coral Springs, cidade vizinha a Parkland, onde ocorreu o massacre numa região no sul da Flórida, com forte presença de imigrantes brasileiros. Nikolas Cruz, 19, já tinha idade suficiente para comprar a arma. No Estado da Flórida, qualquer pessoa maior de 18 anos pode adquirir um revólver ou um fuzil semiautomático. Para comprar bebidas, a idade limite é 21 em todo o país. A loja Sunrise Tactical Supply, onde Cruz fez a compra, vende pistolas e fuzis até pela internet. No site da empresa, que opera legalmente, é possível encontrar ofertas de pistolas e munições a partir de US$ 249 (cerca de R$ 800), incluindo a taxa de entrega. O slogan do estabelecimento é: "Não deixe o que é importante ficar desprotegido." A Folha não conseguiu contato com os donos da loja nesta quinta (15). Tiroteio deixa feridos em escola nos EUA SAÚDE MENTAL VS. CONTROLE DE ARMAS O presidente Donald Trump e o governador da Flórida, Rick Scott, ambos republicanos, afirmaram que pretendem atacar o problema da saúde mental para evitar novos tiroteios em escolas americanas. Cruz, que apresentava comportamento agressivo e havia sido expulso da escola em que ocorreu o massacre, chegou a receber tratamento psiquiátrico, mas deixara de frequentar a clínica há cerca de um ano. Os motivos do ataque ainda não foram esclarecidos. Os políticos, porém, não mencionaram o controle de armas. O debate sobre medidas mais restritivas à compra e posse de armamento é retomado em protestos a cada massacre nos EUA. "Acima de tudo, pessoas que têm problemas mentais jamais deveriam ter acesso a uma arma", afirmou Scott. O governador já foi descrito pela NRA (Associação Nacional do Rifle, na sigla em inglês) como quem "mais assinou leis pró-armas na Flórida". A NRA é o maior lobby pró-armas nos Estados Unidos, e uma grande doadora de campanha. Em entrevista à CNN, o governador foi questionado sobre o controle de armas, e se faria algo para alterar as leis locais. "Eu vou fazer tudo o que for possível para proteger as nossas crianças", afirmou Scott, sem mencionar especificamente as leis. O político argumentou que o problema dos tiroteios em massa não diz respeito apenas ao controle de armas, mas a várias questões, e que todas precisam ser contempladas pelo governo, como segurança nas escolas e o oferecimento de cuidados de saúde mental aos alunos.
  8. Olá, A lista de nomes é imensa, mas eu ficaria muito feliz se estes dois aí não fossem mais eleitos.
  9. Olá, Horário maldito, volte pro inferno!
  10. Olá, Vixe, o bitcoin vai disparar com uma noticia dessas...
  11. É hora das músicas nostalgicas

    Olá, Caracas... o Willem Dafoe sempre foi feio...
  12. Olá, É uma delícia ver como nessa hora, cagam na cabeça de todo mundo. Todo mundo quer a grana e foda-se... só a título de comparação com o "ARROMBADO INSS", esse valor de "auxílio-casinha" é bem próximo do TETO da aposentadoria do INSS. Enquanto, de um lado, está a maior choradeira para "mudar o inss", de outro, parece que está "sobrando grana" pra pagar o "vale-casa" dos juizes, que normalmente já ganham MUITO ACIMA da média salarial brasileira. Ah, tadinhos, trabalham muito ? FODA-SE! Tá cheio de gente que trabalha tanto ou mais que eles e ganha uma fração do que eles recebem. MAS, CURIOSAMENTE: O Ministro Fux deu essa liminar em 2014, mas estou notando que houve um "aumento" do "barulho" da mídia em cima desse assunto, há coisa de 1 ou 2 semanas... coincidentemente após a condenação do Lula em 2a instância, basicamente o ápice da Lava-jato. Inclusive notei que as notícias destacam que o MORO e o DALLAGNOL ganham esse benefício, o que é "estranho", já que o beneficio é estendido a qualquer integrante do judiciário, então esses 2 tem o direito de receber como QUALQUER outro, mas as notícias fazem questão de CITÁ-LOS sempre que podem. É curioso, não?
  13. Olá, Para comprar essas criptomoedas, tem que ser um numero inteiro de moedas, ou pode ser um valor qualquer: por exemplo R$ 100,00 ?
  14. Vixe, mas a Terra não era plana?

    Olá, Eu tb não tenho certeza, mas imagino que isso poderia interferir na "aerodinâmica" do salto (porque o cara ultrapassou a velocidade do som - Mach 1 - durante a queda).
  15. Vixe, mas a Terra não era plana?

    Olá, Claro, depois dá pra comentar... No vídeo desse salto, toda a parte antes do salto foi transmitida por uma câmera situada na "cápsula" do balão meteorológico de onde o cara saltou. Fica nítida a visão da borda arredondada da Terra mesmo levando em conta a "curvatura" da lente da câmera. Aí a galera da "terraplanagem" pira, porque os caras não acreditam direito nem na gravidade.
  16. Olá, 2118 está parecendo meio longe demais...
  17. Fim do mundo em 2118...

    Olá, Pelo menos esse é um "fim" plausível... http://ultimosegundo.ig.com.br/ciencia/2018-01-24/asteroide-nasa-terra.html Asteroide gigante está vindo em direção à Terra a mais de 120 mil km/h, diz Nasa Por iG São Paulo | 24/01/2018 12:30 Tamanho do texto - + Home iG › Último Segundo › Ciência Caso venha a atingir a Terra, pó e destroços podem permanecer no ar durante anos, dificultando colheita e matando milhões de pessoas de fome Nasa Nasa expôs que se ao asteroide cair no mar, pode causar um tsunami com potencial de destruição em escala global De acordo com a Agência Espacial Norte-Americana (Nasa), um grande asteroide está vindo em direção à Terra a uma velocidade de mais de 122 mil quilômetros por hora (km/h). O corpo rochoso do tamanho do arranha-céu mais alto do mundo, o Burj Khalifa, de 826 metros, é conhecido como 2002 AJ129 e representa uma ameaça significativa, já que é capaz de destruir uma cidade inteira caso venha a despencar no planeta. Leia também: Todo o universo pode estar cheio de vírus "alienígenas", sugere novo estudo A Nasa expôs que, se a rocha espacial cair no mar, isso pode causar um tsunami com potencial de destruição em escala global. Além disso, o pó e os destroços podem permanecer no ar durante anos, dificultando a colheita e matando milhões de pessoas de fome em uma ‘pequena Era do Gelo’. Muito se especula sobre uma possível colisão do asteroide com a Terra no dia 4 de fevereiro, em um domingo. Porém, se levadas em consideração as estimativas dos cientistas, podemos ficar tranquilos, pelo menor por enquanto. "Estamos acompanhando esse asteroide há mais de 14 anos e conhecemos muito bem sua órbita. Pelos nossos cálculos, ele demorará aproximadamente 100 anos para atingir o planeta Terra", pontua o gerente do Centro de Estudos para Objetos próximos a Terra da Nasa, Paul Chodas, ao jornal Metro . Leia também: Não é magia! Pesquisadores criam dispositivo que será capaz de levitar humanos O que pode acontecer? Para Charles Bardeen, do Centro Nacional de Pesquisa Atmosférica em Boulder, nos Estados Unidos, uma rocha espacial de tamanha extensão causaria estragos irreparáveis, embora não tenha força o suficiente para destruir a humanidade. “O 2002 AJ129 jogaria quantidades grandiosas de poeira e cinzas no ar, além de gerar incêndios florestais intensos que, com certeza, jogariam mais fuligem e fumaça na atmosfera. No pior dos casos, os detritos podem perdurar por até 10 anos, bloqueando a luz solar. Creio que não seria um momento agradável”, afirma. Vale lembrar que, no ano passado, o programador e astrônomo Robert Walker fez algumas previsões aterradoras sobre o que viria a acontecer se um asteroide considerado pequeno atingisse o ‘planeta azul’. Segundo o pesquisador, milhões de pessoas poderiam ser mortas por um tsunami ou pela cratera que se formaria caso ele aterrissasse perto de uma cidade. Entretanto, se pousasse em lugar remoto, os efeitos seriam mínimos e não durariam por muito tempo. Leia também: Olhe para o céu! Os nove melhores eventos astronômicos para observar em 2018 Embora os estragos sejam breves, estudos anteriores da Nasa sugeriram que o impacto de um asteroide pequeno causaria uma explosão 15 vezes mais poderosa do que a Tsar Bombe, bomba de hidrogênio mais potente já testada até hoje, o que faz com que as consequências da queda de uma rocha espacial cinco vezes maior se tornem ainda mais temidas.
  18. Olá, http://spotniks.com/7-acoes-do-governo-doria-que-nao-custarao-nada-aos-cofres-publicos/ 7 ações do governo Doria que não custarão nada aos cofres públicos por Rodrigo da Silvahá um dia Você já deve estar cansado de ter ouvido isso nos últimos meses. São tempos de crise. E os efeitos de políticas econômicas equivocadas ao longo da última década impactam negativamente no orçamento de praticamente todos os municípios do país. Com São Paulo não é diferente. E Doria, seu novo prefeito, já demonstrou logo em seu primeiro mês de mandato que usará de toda criatividade possível para driblar esse cenário, indicando soluções simples para problemas complexos, sem peso no orçamento do município. Desde que foi eleito, o novo prefeito anunciou corte de 15% em todos os contratos com empresas prestadoras de serviços, de 30% nos aluguéis pagos pela Prefeitura, de 25% em todas as despesas (com exceção de educação e saúde) e de 30% nos cargos comissionados. Além disso, o prefeito também se desfez dos cerca de 1.300 veículos da Prefeitura, que serão leiloados ou devolvidos a locadoras. Desde seu primeiro dia, os funcionários de sua gestão são orientados a utilizarem táxi ou Uber. Doria mesmo vai à Prefeitura com o seu próprio veículo. E antes que você encare a sequência dessa matéria, um aviso: não temos a pretensão de abraçar aqui todas as ideias de João Doria. Se há algo que a história recente do país nos ensinou é que não devemos tratar políticos, de qualquer natureza, como salvadores da pátria. Pelo contrário. Aos políticos, e isso independente das cores de seus partidos, toda dose de ceticismo é pouca. E isso vale especialmente para os eleitores de Doria. Mas assim como já elogiamos a ideia de Fernando Haddad em privatizar a previdência municipal, acreditamos que boas ações não devam apenas ser enaltecidas, mas apontadas, especialmente para que sirvam de exemplo para outros governantes espalhados país afora. Em tempos de crise, João Doria parece ter boas soluções para resolver os problemas da maior cidade do país sem que isso pese no bolso dos pagadores de impostos. E aqui, nós temos 7 exemplos de como ele pretende fazer isso. 1. O seu próprio salário. R$ 24.165,87. Esse é o salário de um prefeito da maior cidade do país. Mas não se engane: ele não entrará na conta de João Doria. Com uma fortuna avaliada em R$ 180 milhões (dez vezes mais do que a soma de seus rivais na última eleição), Doria decidiu abrir mão de sua remuneração no cargo. Com isso, deixará de receber R$ 1.159.961,76 durante seus quatro anos de mandato. Impedido por lei, no entanto, de devolver o dinheiro aos cofres públicos, doará cada centavo a organizações não governamentais, restituindo uma parcela da sociedade com o dinheiro dos pagadores de impostos. A primeira escolhida é a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD), que recebeu a doação do mês de janeiro (R$ 18,5 mil se descontados os encargos). Em fevereiro, a organização escolhida atuará no terceiro setor. 2. A limpeza das pichações da Ponte Estaiada. A Ponte Octavio Frias de Oliveira, também conhecida como Ponte Estaiada, é um dos marcos da cidade de São Paulo. Inaugurada em maio de 2008, após três anos de construção, a obra não demorou muito tempo para ser tomada completamente pela ação dos pichadores. E foi exatamente por esse motivo que Doria, logo em seus primeiros dias de mandato, anunciou a sua restauração: como um marco no combate ao picho na cidade. A limpeza da ponte começou na manhã do dia 2 de janeiro e demorou duas semanas. Segundo a Prefeitura, o investimento total da obra foi de R$ 900 mil, mas com custo zero aos pagadores de impostos paulistanos. Para evitar novos atos de vandalismo, Doria disse que aplicará uma estratégia que inclui a instalação de sensores nos portões, que acionarão a Guarda Civil Metropolitana e a Polícia Militar em tentativas de arrombamento, além de iluminação – já instalada – e câmeras para captar a presença de invasores durante a madrugada. 3. O “melhor programa social”, bancado pela iniciativa privada. Foi Ronald Reagan quem disse que o melhor programa social é o emprego. Desde então, a frase foi dita exaustivamente por políticos do mundo inteiro. Há poucos dias, incorporando esse espírito, Doria acertou uma parceria com os sindicatos de conservação e limpeza de São Paulo para que reservem vagas de varredores nas empresas privadas do setor para atender o programa Trabalho Novo, que visa empregar moradores de rua. A meta é contratar 20 mil pessoas até o final do ano. Como contrapartida, as empresas pagarão um salário mínimo mensal (R$ 937), além de plano de saúde. Para conseguir a vaga, os candidatos terão de se comprometer em deixar as ruas em até três meses – uma das opções é ir para os albergues da cidade. O governo estadual também auxiliará o programa, através do Poupatempo – com ele, os moradores de rua conseguirão obter documentos necessários para sua contratação. Nenhum centavo do dinheiro dos pagadores de impostos será gasto com o programa. 4. A reestruturação dos albergues para os moradores de rua. “E os albergues para os mendigos, apresentam condições mínimas para recebê-los?”, você deve estar se perguntando. E foi exatamente para atender esse questionamento que a Prefeitura criou um novo modelo de gestão: estabelecer uma série de parcerias com empresas privadas para melhorar a condição desses espaços. A iniciativa faz parte de um projeto batizado de Espaço Vida. Fazem parte do modelo, a rede hoteleira Accor, a Procter & Gamble, a rede de comida orgânica Mundo Verde e a empresa de tintas Coral. A ideia é modificar radicalmente o cenário dos 83 albergues espalhados pela cidade preparados para atender os moradores de rua. A Accor, por exemplo, ajudará a Prefeitura a oferecer cursos de capacitação e a configurar os quartos dos albergues. A Mundo Verde fornecerá alimentos de origem orgânica e a Procter & Gamble produtos de higiene. O Senac também fechou parceria para oferecer cursos profissionalizantes. Não haverá um único centavo dos pagadores de impostos no projeto. Além de melhorar a estrutura dos espaços, a ideia do Espaço Vida é disponibilizar canis e estrutura para que os animais de estimação e as famílias dos moradores de rua sejam acolhidas juntas. Hoje, homens e mulheres são atendidos separadamente nos abrigos e os animais são proibidos. 5. Atendimento nos melhores hospitais privados do país pelo custo da tabela do SUS. É quase uma unanimidade. A maioria esmagadora dos brasileiros estão insatisfeitos com a saúde pública no país – segundo o Datafolha, foi a maior preocupação dos eleitores em 2014. E em São Paulo a situação não é diferente. Para 37% dos paulistanos, ela é o grande problema da cidade – e a preocupação é maior entre os mais pobres (41%) do que entre os mais ricos (24%). Foi pensando nisso que João Doria desenvolveu o programa “Corujão da Saúde”. A ação tem como meta zerar a fila de exames em um prazo de 90 dias. Participarão do programa alguns dos melhores hospitais privados do país, como o Hospital do Coração (HCor), o Sírio-Libanês, o Albert Einstein e o Oswaldo Cruz. Além deles, também estarão presentes as seguintes instituições: Edmundo Vasconcelos, Sepaco, Santa Casa de Santo Amaro, Santa Marcelina de Itaquera, Cruz Azul, Santa Casa de São Paulo, Instituto Arnaldo Vieira de Carvalho, Cetrus, Dasa-Lavoisier, Hospital Santa Joana, Beneficência Portuguesa, Aviccena, Hospital Presidente e o Tadao Mori. A rede Dasa-Lavoisier será a instituição a oferecer o maior número de exames. Serão 16.380. No total, cerca de 137.100 exames foram agendados para janeiro, outros 79.900 para fevereiro e 20.600 para março. No Corujão da Saúde, a Prefeitura repassa recursos e as intuições privadas fornecem equipamentos e funcionários no período entre 20h e 8h. Ou seja, diferentemente dos outros pontos levantados nessa lista, esse não será gratuito. A remuneração dos procedimentos, no entanto, seguirá os valores da tabela do SUS. Isto é: a população paulistana receberá atendimento nos melhores hospitais do país sem nenhum centavo a mais do que já gasta com a remuneração dos serviços dos hospitais públicos. 6. A adoção de praças por empresas privadas. A Prefeitura de São Paulo anunciou na última segunda-feira reativar o programa “Adote uma Praça”, idealizado pelo ex-governador do estado, Mário Covas. Segundo o projeto, a manutenção de praças da cidade será custeado por empresas ou pessoas interessadas em recuperá-las quando deterioradas, sem custo aos pagadores de impostos. Nesses locais há calçadas e bancos destruídos, lixo, pichações falta de serviço de capina e de segurança. O que essas empresas ganharão com isso? A possibilidade de realizar anúncios no local. A proposta da atual gestão é regulamentar o antigo programa, com três grandes mudanças: 1. A Prefeitura terá um prazo para avaliar um pedido de adoção de uma praça, que será de 30 dias; 2. O tamanho dos parques que serão disponibilizados para zeladoria privada aumentará de 5 mil para 10 mil metros quadrados; 3. As empresas que se interessarem pelo projeto poderão divulgar seus produtos conforme os critérios da Lei Cidade Limpa, respeitando o tamanho da propaganda. Segundo o vice-prefeito, Bruno Covas, neto do ex-governador: De acordo com a Prefeitura, os recursos economizados serão investidos na saúde e na educação da cidade. 7. A reforma e a manutenção dos banheiros do Ibirapuera. Há poucos dias, Doria estabeleceu uma parceria com duas empresas privadas: a revitalização e manutenção de 16 banheiros (oito masculinos e oito femininos) e da marquise do Parque Ibirapuera, na forma de doação, sem custos para os pagadores de impostos do município. No lançamento da ação, Doria que a revitalização será realizada sem contrapartidas: A incorporadora Cyrela fará a reforma dos banheiros, com a troca de todas as louças e metais. As obras iniciam no próximo dia primeiro de fevereiro e a previsão é que em quatro meses todos os banheiros estejam renovados. A Cyrela também se comprometeu em contribuir com a regularização da laje, pintura e troca de lâmpadas da marquise do Ibirapuera (que no momento apresentam algumas infiltrações). Após a conclusão da reforma, a Unilever passará a administrar os sanitários durante doze meses. O acordo firmado pela Prefeitura prevê a manutenção, a limpeza e o fornecimento de produtos de limpeza e de materiais de higiene, como sabonete e papel higiênico.
  19. Duke Nukem - o Filme

    Olá, Acho que a galera confunde o "animatronic" com "CGI". O Goro era o melhor animatronic que poderiam ter feito para a época (e mesmo parecendo um "boneco" no filme, ainda assim foi um excelente "efeito especial"). Em termos de CGI toscas, é melhor mencionarmos o Escorpião Rei de "O Retorno da Múmia": Na época desse filme, já dava pra fazer coisa melhor... e se fosse animatronic provavelmente teria ficado melhor que essa CG tosca (que, ao invés de provocar uma reação positiva, foi frustrante - deviam apenas ter usado o próprio The Rock mesmo - teria sido mais simples, realista e até interessante, pelas possibilidades de luta). Inclusive, acho que esse é um exemplo do que a "empolgação com efeitos especiais acaba fazendo", pois era desnecessário (ao contrário do Goro do MK).
  20. Fim do mundo em 2118...

    Olá, Os "especialistas" cagam de medo dessa alternativa (mandar mísseis pra tentar "destruir" o asteróide). Como isso pode não funcionar (quebrando o asteroide em pedaços grandes ou mudando sua trajetória para uma ainda mais perigosa), só usariam isso em último caso, algo como "ele vai cair anyway, então manda os mísseis que, se ele quebrar em 2 ou 3 pedaços, vai destruir um monte de coisa, mas não teremos "inverno nuclear de 10 anos"".
  21. Labo (Nintendo Switch)

    Olá, Os jogos que utilizam "controle de papelão" não serão de graça. Mesmo assim... é uma tranqueira... e mesmo assim... vai "vender" (jogo) pra cacete. Porque, não importa que seja uma "tranqueira"... a Nintendo sabe tirar leite de pedra.
  22. Labo (Nintendo Switch)

    Olá, Achei esse Labo uma bosta. Mas, vai vender horrores, apesar de ser uma tranqueira... não consigo ver "durabilidade" num "controle de papelão", a criançada vai brincar uma tarde (ou duas) e o treco provavelmente vai abrir o bico (é um chute, mas não consigo ver a Nintendo investindo em "papelão de alta durabilidade").
  23. Olá, ... só que, com outro nome. Tomara que aprovem essa merda mesmo, quem manda nego apoiar as cagadas do governo sem pensar a respeito? Essa manobra vai AUMENTAR a arrecadação sindical e o trabalhador "ixperto" vai tomar ainda mais fundo no cu. Parabéns aos envolvidos! http://atarde.uol.com.br/economia/noticias/1884114-centrais-querem-contribuicao-sindical-maior-do-que-imposto-cobrado-hoje Centrais querem contribuição sindical maior do que imposto cobrado hoje Fernando Nakagawa Tags ugt sindicatos imposto reforma trabalhista A+A- Agora, em vez de ter um dia de trabalho descontado, a contribuição será decidida em assembleia Camila Domingues | Palácio Piratini | Fotos Públicas O imposto sindical vai deixar de existir em novembro, com a entrada em vigor da reforma trabalhista, mas a contribuição que os trabalhadores dão aos sindicatos pode aumentar com a mudança. Agora, em vez de ter um dia de trabalho descontado todo ano (o correspondente a 4,5% de um salário), a contribuição será decidida em assembleia, sem um teto estabelecido. Duas das maiores centrais do País, União Geral dos Trabalhadores (UGT) e Força Sindical, defendem que de 6% a 13% de um salário mensal sejam destinados anualmente ao financiamento das entidades. >> Governo vai restaurar o imposto sindical na legislação trabalhista >> Governo avalia pacote de aumento de impostos Criada para financiar a estrutura sindical, a nova "contribuição por negociação coletiva" é apoiada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), UGT e Força. Juntas, elas representam 51,8% dos trabalhadores sindicalizados. O valor defendido pela Força e UGT, porém, faria com que os empregados pagassem mais que um dia de trabalho aos sindicatos. O presidente da UGT, Ricardo Patah, defende 6% de um salário. "É um valor equilibrado que poderia ser dividido em 12 vezes." O secretário-geral da Força, João Carlos Gonçalves, cita valor que poderia oscilar de 8% a 13%. Maior entidade do País, a CUT não divulga valor de referência e não participa do debate por considerar o governo Temer ilegítimo, mas historicamente manteve posição favorável à criação da contribuição. A Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) não emitiu posição oficial. O presidente Michel Temer informou às centrais que o substituto do imposto sindical será regulamentado por Medida Provisória. O texto, porém, não deve trazer um porcentual a ser cobrado dos trabalhadores. Por isso, sindicalistas debatem qual valor é necessário para manter o funcionamento da estrutura sindical. O modelo em debate prevê aprovação anual, pelos trabalhadores, do valor a ser pago na mesma ocasião em que empregados e patrões negociam reajuste anual de salário. A contribuição será paga por todos os empregados beneficiados pela negociação coletiva - inclusive os não sindicalizados. Isso, na prática, torna a contribuição negocial obrigatória aos que tiverem reajuste anual de salário conforme o acertado na negociação coletiva liderada pelo sindicato. O funcionamento dessas assembleias está em discussão. Por enquanto, prevalece proposta de que o quórum mínimo dessas reuniões poderá ser de apenas 10% dos trabalhadores representados. Congresso Essa nova contribuição tem sido negociada dentro do esforço do Palácio do Planalto em obter apoio dos parlamentares para evitar resistência do Congresso à MP que também ajustará pontos da reforma trabalhista - como o trabalho insalubre de grávidas e contratos intermitentes. Duas centrais - a Força e UGT - têm demonstrado mais simpatia ao modelo costurado com Temer e já se movimentam para tentar convencer deputados. O esforço é importante depois que o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegou a dizer que não aprovaria uma MP para mudar a reforma aprovada pela Casa. Questionado sobre o aumento do valor a ser pago pelos trabalhadores, o secretário-geral da Força disse que "não é possível comparar" com o modelo atual porque a existência de negociação permitirá, em tese, que nem haja contribuição. Patah lembra ainda que, além do imposto sindical, trabalhadores sindicalizados também pagam contribuição assistencial e há casos de pagamento confederativo. "Hoje, em algumas situações o total pode chegar a 20% de um salário", diz. "As três serão substituídas por uma. Com certeza, o valor vai cair." As contribuições assistencial e confederativa, no entanto, são pagas exclusivamente por sindicalizados - parcela minoritária do mercado. Segundo o IBGE, apenas 19,5% dos trabalhadores são ligados oficialmente a um sindicato. Portanto, a maioria dos empregados - 80,5% da força de trabalho - paga apenas o imposto sindical. Em 2016, o imposto sindical arrecadou R$ 3,53 bilhões. Confirmado o novo porcentual citado por UGT e Força, o valor poderia saltar para R$ 10,2 bilhões com desconto de 13%. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
  24. A contribuição sindical vem aí...

    Olá, É bom saber, já que não conheço os detalhes. Valeu. De qualquer forma, assim que descobrir o posicionamento oficial disso por aqui, eu aviso (já que, certamente, se houver uma brecha, irão utilizá-la).
×