Jump to content

Coronavírus (bagulho ta tenso)


MR Zumbi
 Share

Recommended Posts

8 minutos atrás, Peidãø Neck disse:

Foto de hoje, não vou nem comentar ou colocar a notícia porque seu post já diz tudo...

IJBF5jIQ?format=jpg&name=small

 

Olá,

É a motoca-gado.

 

Está conduzindo os moto-bôis.

 

Teve um acidente no meio da turma e varias motos foram ao chão.

 

 

  • Upvote 1
Link to comment
Share on other sites

3 horas atrás, rcaropreso disse:

Olá,

É a motoca-gado.

 

Está conduzindo os moto-bôis.

 

Teve um acidente no meio da turma e varias motos foram ao chão.

 

 

Só um?

Que pena...

Link to comment
Share on other sites

Raça superior essa, não precisam de protocolos kkkkkkkkk

Sexta meu irmão, minha sobrinha e meu sobrinho foram vacinados (cada um na faixa que lhe cabiam entrar na fila da vacina). Fiquei muito feliz! Aguardando a minha vez (e EM CASA).

Link to comment
Share on other sites

Em 12/06/2021 at 20:35, Peidãø Neck disse:

:lula::aecio::nag:

Olá,

Na verdade é a diferença entre um imbecil fanático e alguém que tem o mínimo de bom senso, independente da ideologia.

 

Até o General Mourão, se estivesse no lugar do bolsonaro, teria recomendado os cuidados necessários e incentivado a vacinação (apesar de outras características negativas que ele pudesse ter ao sentar na cadeira da presidência).

 

 

 

 

Link to comment
Share on other sites

Covid-19: Brasil ultrapassa 500 mil mortes

ExWYdAhXEAEHYG9?format=jpg&name=medium

De acordo com os números levantados pelos veículos junto às secretarias de saúde, o país teve 500.022 óbitos desde o início da pandemia.

500.022

500.022

500.022

500.022

500.022

E4QxoxdWYAApelx?format=jpg&name=large

 

Edited by Peidãø Neck
  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

Infelizmente atingimos a marca de 500k óbitos.

O Brasil se aproxima de superar os EUA, provavelmente seremos a 1ª nação nesse trágico ranking.=(

Inacreditável como muitos ainda negam a relação dos fatos acima com a condução do governo federal no combate à pandemia.

Exceto os adeptos/fanáticos dessa seita e tiozões enganados por fakenews de FB e whats, penso que diante de inúmeros exemplos bem sucedidos de outros países, grande parte dessa galera continua nessa de defender tratamento precoce, minimizar ou distorcer a atuação desastrosa do governo por puro orgulho.

Quase todos os dias fico abismado e não compreendo como tanta gente do meu convívio faz parte desse segundo grupo que citei acima, muitos são pessoas esclarecidas, jamais imaginei compactuarem com tamanha falta de empatia ! 

Hoje tivemos mais uma dose do despreparo e descaso com a pandemia do nosso presidente , nada justifica essa conduta:

Bolsonato ofende reporter  da Globo

Detatlhe para a Carla Zambelli imitando o gesto dele e lambendo as bolas no final.

Edited by iceman
  • Upvote 1
Link to comment
Share on other sites

45 minutos atrás, parana disse:

Hj tomei minha dose.

Coronavac.

 

acho...que minha vez 38 anos e semana que vem aqui na cidade mas nao sei qual sera a vacina sera a 3 que tomo esse ano.

meus pais tomaram coronavac quando era somente idosos meses depois tomaram a da gripe.

Edited by Dav
Link to comment
Share on other sites

2 horas atrás, Dav disse:

acho...que minha vez 38 anos e semana que vem aqui na cidade mas nao sei qual sera a vacina sera a 3 que tomo esse ano.

meus pais tomaram coronavac quando era somente idosos meses depois tomaram a da gripe.

Quem sabe vc toma a Jensenn.....

Chegam 3 milhões de doses doadas dos EUA amanhã

  • Like 1
Link to comment
Share on other sites

21 horas atrás, parana disse:

Hj tomei minha dose.

Coronavac.

 

Consegui tomar a minha na terça por conta de hipertensão, aqui foi AstraZeneca

Link to comment
Share on other sites

11 minutos atrás, Peidãø Neck disse:

 

Então na cabeça desse IMBECIL se eu for a praia e tomar um bronzeado serei um mentiroso em potencial?

Se minha noiva fosse negra ela seria uma mitomaniaca?

  • Upvote 1
Link to comment
Share on other sites

Epidemiologista diz à CPI da Covid que cerca de 400 mil mortes poderiam ter sido evitadas

Pedro Hallal afirmou média de mortes no país é superior ao resto do mundo e listou fatores que prejudicaram o Brasil, como desestímulo do presidente ao uso de máscaras e atraso na compra de vacinas.

95272943_3212812705409202_46421569473767

Em depoimento à CPI da Covid nesta quinta-feira (24), o epidemiologista Pedro Hallal disse que cerca de 400 mil mortes pela doença no país poderiam ter sido evitadas caso medidas de controle, como o distanciamento social e a celeridade na vacinação, tivessem sido implementadas no país. O Brasil tem atualmente mais de 508 mil mortes.

Hallal é coordenador da pesquisa Epicovid, estudo da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e universidades parceiras.

O epidemiologista atribuiu à postura do presidente da República, Jair Bolsonaro, a principal responsabilidade pela situação da pandemia no país. Para Hallal, Bolsonaro adotou posições “indefensáveis” ao longo da expansão da doença.

Só a demora na compra de vacinas, segundo o pesquisador, levou a pelo menos 95,5 mil mortes que poderiam ter sido evitadas.

"Nós fizemos uma análise que estimou que especificamente o atraso na compra das vacinas da Pfizer e da CoronaVac resultou em 95,5 mil mortes", afirmou.

Hallal relatou que há estudos apontando que a demora pode ter acarretado em 145 mil mortes.

"Outros pesquisadores, usando um método, com toda tranquilidade pra dizer isso, inclusive mais robusto do que o nosso, porque eles analisaram os dados não especificamente dessas vacinas, mas o ritmo da campanha de vacinação que teria sido, caso tivéssemos adquirido, e eles estimaram 145 mil mortes especificamente pela falta de aquisição de vacinas tempestivamente pelo governo federal", completou.

Hallal fez comparações sobre os números de mortes no Brasil e no resto do mundo – segundo o epidemiologista, o país, que representa 2,7% da população mundial, registra 13% das mortes por Covid do planeta. Somente nesta quarta-feira, ressaltou, uma a cada três vítimas da doença é do Brasil.

“Trinta e três por centro das mortes por Covid no planeta Terra ontem aconteceram num país que tem 2,7% da população mundial. Portanto, é tranquilo de se afirmar que quatro de cada cinco mortes no Brasil estão em excesso, considerando o tamanho da nossa população”, disse.

Hallal também apontou que a mortalidade acumulada no Brasil é de 2.345 pessoas para cada um milhão de habitantes. No mundo, disse, são menos de 500 mortes para cada milhão de habitantes.

“É uma análise diferente da anterior e que chega exatamente na mesma conclusão: quatro de cada cinco mortes teriam sido evitadas se estivéssemos na média mundial. Não é se estivéssemos com um desempenho maravilhoso, como a Nova Zelândia, Coreia, Vietnã. Se nós estivéssemos na média, nós teríamos poupado 400 mil vidas no Brasil”, afirmou.

Ele listou o que o país fez de errado e que resultou em muitas das mortes:

 

  • "O Brasil fez promoção de tratamentos ineficazes";
  • "O Brasil teve pouca testagem, rastreamento de contatos e isolamento, que é o bê-á-bá do enfrentamento de qualquer doença infecciosa";
  • "A ausência de liderança do Ministério da Saúde, de um comitê de crise";
  • "O desestímulo ao uso de máscaras";
  • "A falta de uma comunicação unificada, estimulando a população a usar máscara, a se proteger, a evitar aglomerações".

 

'Postura anticiência'

 

O epidemiologista ressaltou ainda que o alto índice de mortes no país não se deve ao tamanho da população brasileira, ao nível de desenvolvimento ou à pirâmide etária. De acordo com Hallal, entre os critérios de causalidade, é possível constatar uma relação entre a “postura de anticiência” adotada no Brasil e a mortalidade por Covid-19.

Ele apresentou um gráfico com uma relação entre os eleitores do presidente Jair Bolsonaro no segundo turno das eleições de 2018 e as mortes por coronavírus a cada 100 mil habitantes.

Segundo o pesquisador, em cidades nas quais Bolsonaro teve menos de 10% dos votos, por exemplo, foram registradas 70 mortes por 100 mil habitantes. Nas regiões em que o presidente recebeu mais de 90% dos votos, as mortes chegam a 313 a cada 100 mil habitantes.

“A gente observa uma relação extremamente linear entre o percentual de votos obtidos no segundo turno das últimas eleições presidenciais e, especificamente, a morte por Covid”, disse.

Nesse momento, o senador Fernando Bezerra (MDB-PE), líder do governo Bolsonaro, questionou os dados.

“Qual é a conclusão disso? O que está se querendo dizer com a população da cidade que votou para lá ou votou para cá tem mais ou menos Covid?”, disse. “É só pegar essas cidades aí que têm níveis de isolamento maior do que outras. Qual é a base científica para poder fazer uma afirmação dessa natureza, a não ser animar uma narrativa?”, continuou Bezerra.

“Cada pessoa pode fazer uma interpretação desse resultado. A única coisa que eu estou trazendo aqui é que esse resultado não se observa por acaso, porque quando a gente compara com as mortalidades em geral, não existe essa tendência - essa tendência é específica para a Covid-19. Cada pessoa pode fazer a interpretação que achar mais adequada”, respondeu Hallal.

Link to comment
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
 Share

×
×
  • Create New...