Jump to content
Sign in to follow this  
setzer

Aumento dos preços

Recommended Posts

Primeiramente, ESSE TÓPICO NÃO É PARA DISCUTIR POLÍTICA. Não me venha com Bolsonaro, nem Lula, nem Ministro da PQP, a ideia do tópico é outra. Dito isso, vamos lá:

 

Com a nova geração de consoles chegando, é inevitável a comparação com os preços da geração anterior. Procurando na internet, vi que o Xbox One foi lançado oficialmente no Brasil por 2.200,00, em 2013. Nessa nova geração, o preço de tabela dele é de R$ 4.500 a 5.000, assim como o do PS5. O preço, nos EUA, se manteve o mesmo: U$ 499 em ambas as gerações. Ou seja: mais que dobramos a meta. Isso falando em consoles.

Se pegarmos os jogos como exemplo as versões básicas dos mesmos se mantém no mesmo preço lá fora (U$ 60). No Brasil também não mudaram tanto: custavam algo em torno de 200 reais lá no lançamento do Xbox One, e agora são encontrados entre 220 e 250 (alguns lugares cobrando 300 na pré-venda, mas não creio que seja o padrão). 

Se o dólar for o problema, porque só os consoles multiplicaram de preço aqui no Brasil, e os jogos conseguiram se manter praticamente no mesmo patamar?

 

Vamos então falar de outra coisa que nos últimos anos também aumentou muito de preço: carros. Peguei como exemplo um Onix, recém lançado em dezembro de 2012 (praticamente a mesma data dos consoles acima citados, pra podermos comparar). Uma reportagem da Quatro Rodas diz: "O hatch recém-chegado começa em 29990 e vai a 41990 reais, sem contar o LTZ 1.4 automático, ainda sem preço."

Indo de 2013 para os dias de hoje, os preços do Chevrolet Onix agora são: de R$ 48.490 (versão mais básica 1.0 manual) até R$ 72.990 (na versão 1.0 Premier Turbo). Isso pegando apenas o exemplo do Onix, mas poderia ser de qualquer outro carro, que o aumento seria o mesmo. 

Daí muitos vão dizer: "ah, mas não dá para comparar a tecnologia e os itens de um carro de 2020 para um de 2013". Ok, mas isso é o normal da evolução. Em 2013 o carro oferecia o que existia a época, assim como agora em 2020 ele oferece o que é o "normal" de agora. Não acho que isso justifique aumentos tão grandes.

 

Tendo falado tudo isso, e tendo citado apenas dois exemplos, minha pergunta é: será que a gente não aceita os preços que nos são colocados, e por isso as coisas estão ficando tão caras? No caso da indústria automotiva: todo mês os carros estão sofrendo reajustes no preço (aumentos, claro), e o pessoal continua comprando sem medo, mesmo o salário das pessoas aumentando muito pouco. Por falar nisso, o salário mínimo em 2013 era de R$ 678,00, e agora em 2020 está em R$ 1.039,00.

 

Também como já disse em outro tópico, ando reparando que muita gente está fazendo a pré-venda do PS5 e achando "natural" o preço de R$ 5.000,00 (não estou criticando quem pode e quer comprar). Será que muitas vezes o aumento de preço não se trata de um "se pegar, pegou" ? Já que com certeza é um dos produtos mais desejados de 2020.

 

Antes de encerrar, claro que sei que o dólar em 2013 estava na casa de 2,3 e agora estamos perto de 5,6. Ainda assim, se pegarmos o preço FINAL (DE VAREJO), de um PS5/Xbox Series X, que é de 499, daria 2.800,00 (ah, mas tem os impostos brasileiros e blablablá). Vamos vamos combinar que a Sony BR não compra o PS5 por 499 dólares, concordam com isso?

 

Ou seja: nós brasileiros nos acostumamos com aumentos e aceitamos isso numa boa? Os produtos têm aumentado de preço porque realmente o custo para produção deles aumentou, ou aumentam porque sabem que o brasileiro é trouxa e vai pagar de qualquer maneira? (nesse trouxa, pode incluir eu ok?) 

Edited by setzer
  • Like 2
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Gostaria de elaborar melhor um comentário em um tópico bem elaborado como esse, mas na verdade estou tão cansado disso tudo.

O Brasil trata muito mal seus filhos. É um país que tem mantido castas superiores desde sempre e se você não é dessas classes você está fudido.

A maioria dos colegas de fórum tem uma situação um pouco melhor, somos privilegiados em um país de miseráveis e ignorantes, mas estamos tão longe das famílias que mandam nessa terra.

Falando só por mim, vejo claramente que o certo seria pegar minha família e ir embora daqui, mas ser imigrante em outra terra não me parece muito bom, nem fácil.

Então, como o bosta que eu sou, continuo aqui pagando meus impostos para sustentar e multiplicar a riqueza das castas dominantes e dando graças a Deus por ter uma condição um pouquinho melhor que a grande maioria das população. Me sujeitando as situações que você comentou aí para cima e a tantos outros absurdos que vemos diariamente.

Não sei se era por esse lado que você imaginava encaminhar a conversa, se não era, por favor ignore.

No mais, parabéns pelo tópico, tenho pensado muito sobre isso ultimamente.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, setzer disse:

Primeiramente, ESSE TÓPICO NÃO É PARA DISCUTIR POLÍTICA. Não me venha com Bolsonaro, nem Lula, nem Ministro da PQP, a ideia do tópico é outra. Dito isso, vamos lá:

 

Com a nova geração de consoles chegando, é inevitável a comparação com os preços da geração anterior. Procurando na internet, vi que o Xbox One foi lançado oficialmente no Brasil por 2.200,00, em 2013. Nessa nova geração, o preço de tabela dele é de R$ 4.500 a 5.000, assim como o do PS5. O preço, nos EUA, se manteve o mesmo: U$ 499 em ambas as gerações. Ou seja: mais que dobramos a meta. Isso falando em consoles.

Se pegarmos os jogos como exemplo as versões básicas dos mesmos se mantém no mesmo preço lá fora (U$ 60). No Brasil também não mudaram tanto: custavam algo em torno de 200 reais lá no lançamento do Xbox One, e agora são encontrados entre 220 e 250 (alguns lugares cobrando 300 na pré-venda, mas não creio que seja o padrão). 

Se o dólar for o problema, porque só os consoles multiplicaram de preço aqui no Brasil, e os jogos conseguiram se manter praticamente no mesmo patamar?

Então, US$499 em 2013 eram mais ou menos R$1160, hoje é R$2790, os R$2200 cobrados na época era 89% mais caro que o preço US, hoje os R$4999 são 79% mais caro que o preço US. Eu não vejo muito como isso variaria mais entre as épocas pois é basicamente o mesmo produto, com componentes diferentes com os mesmos processos. 

Já os jogos, qual era o percentual gasto com distribuição lá trás e hoje? Muito menor né? Digital comendo tudo... Mas mesmo assim, eu vejo os jogos muito mais caros, pois o jogo normal de ontem é o Ultimate Deluxe Mothafocka Edition de hoje, que custa muitas vezes quase R$400 :P .

Não colocando os caras de coitadinhos, mas um produto, mesmo montado aqui, tem componentes praticamente 100% comprados em US$...

Edited by PekSGN
  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
46 minutos atrás, Erminio disse:

Gostaria de elaborar melhor um comentário em um tópico bem elaborado como esse, mas na verdade estou tão cansado disso tudo.

O Brasil trata muito mal seus filhos. É um país que tem mantido castas superiores desde sempre e se você não é dessas classes você está fudido.

A maioria dos colegas de fórum tem uma situação um pouco melhor, somos privilegiados em um país de miseráveis e ignorantes, mas estamos tão longe das famílias que mandam nessa terra.

Falando só por mim, vejo claramente que o certo seria pegar minha família e ir embora daqui, mas ser imigrante em outra terra não me parece muito bom, nem fácil.

Então, como o bosta que eu sou, continuo aqui pagando meus impostos para sustentar e multiplicar a riqueza das castas dominantes e dando graças a Deus por ter uma condição um pouquinho melhor que a grande maioria das população. Me sujeitando as situações que você comentou aí para cima e a tantos outros absurdos que vemos diariamente.

Não sei se era por esse lado que você imaginava encaminhar a conversa, se não era, por favor ignore.

No mais, parabéns pelo tópico, tenho pensado muito sobre isso ultimamente.

 

Perfeito, penso igual a você. Muitas vezes dá vontade de abandonar tudo aqui no Brasil e tentar outra vida nos EUA. O problema é que não somos bem vistos lá, já que, além de brasileiros, estaríamos indo para roubar empregos de americanos. Mas que volta e meia me dá vontade, isso dá. Inclusive tenho um amigo próximo que há 2 anos atrás fez isso e está até se dando bem. Mora de aluguel ainda, porém numa casa bonita e de bom tamanho, tem dois carros bons na garagem, e tem trabalhado no ramo de reformas residenciais por lá (aqui ele tinha uma empresa de fabricação e instalação de gesso, que teve que fechar, com dívidas).

E penso nisso pois realmente aqui temos que aceitar tudo. Aceitar ganharmos pouco, aceitar sermos tributados alto em tudo, aceitar que mesmo assim não temos segurança, saúde, edução, etc... enfim, tudo que a gente já está cansado de saber e que parece que não tem jeito, nunca vai mudar.  

 

3 minutos atrás, PekSGN disse:

Então, US$499 em 2013 eram mais ou menos R$1160, hoje é R$2790, os R$2200 cobrados na época era 89% mais caro que o preço US, hoje os R$4999 são 79% mais caro que o preço US. Eu não vejo muito como isso variaria mais entre as épocas pois é basicamente o mesmo produto, com componentes diferentes com os mesmos processos. 

Já os jogos, qual era o percentual gasto com distribuição lá trás e hoje? Muito menor né? Digital comendo tudo... Mas mesmo assim, eu vejo os jogos muito mais caros, pois o jogo normal de ontem é o Ultimate Deluxe Mothafocka Edition de hoje, que custa muitas vezes quase R$400 :P .

Então Pek, mas porque nos EUA o preço era 500 dólares em 2013 e continua exatamente 500 dólares em 2020 ? 

Essa semana vi um instagram de coisa retrô postar uma foto de um catálogo de games de SNES daquela época. Mesmo lá por meados da década de 90, os jogos custavam uma média de 60 dólares. 

Aqui não, tudo é justificativa pra aumentar. Se o dólar amanhã cair para 2 reais, ainda assim carros vão ter aumentos, eletrônicos também, etc. Parece que tudo é justificativa para o aumento de preço. Vão dizer que o preço de alguma commodity aumentou e que isso justifica o aumento do preço do produto.

 

Quanto aos jogos "deluxe edition", pelo menos dá para escolher não comprar, e ainda assim podemos jogar o lançamento a um preço "normal" (sem aumentos). Essas edições nada mais são que uma sacanagem que criaram hoje em dia, porém a gente pode escolher não "compactuar" com isso. Eu mesmo acho que nunca comprei nenhuma dessas edições mais completas que vem com season pass, mil DLCs, ou coisas do tipo. Só compro a básica mesmo e pronto, me dou por satisfeito com o jogo.

Quanto a distribuição digital, sim, isso foi uma mudança brusca de lá pra cá. Mas ainda assim as edições físicas estão aí tendo que ser distribuídas até hoje, mesmo que para um público menor (já que muitos migraram para o 100% digital). 

  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
14 minutos atrás, setzer disse:

Então Pek, mas porque nos EUA o preço era 500 dólares em 2013 e continua exatamente 500 dólares em 2020 ? 

Essa semana vi um instagram de coisa retrô postar uma foto de um catálogo de games de SNES daquela época. Mesmo lá por meados da década de 90, os jogos custavam uma média de 60 dólares. 

Aqui não, tudo é justificativa pra aumentar. Se o dólar amanhã cair para 2 reais, ainda assim carros vão ter aumentos, eletrônicos também, etc. Parece que tudo é justificativa para o aumento de preço. Vão dizer que o preço de alguma commodity aumentou e que isso justifica o aumento do preço do produto.

Cara, eu não vejo isso acontecendo como acontecia antes, hoje em dia, se o dólar baixar a 3 reais digamos, vai chover VGs vindo de muamba, os caras vão perceber isso, claro, não vai ter uma atualização de preços na velocidade do "dólar de hoje", até porque tem estoque e tal, mas não tem como equilibrar isso, é meio suicídio do próprio trabalho. 

E não tem como fazer essa análise que vc fez na primeira frase, TODOS os componentes são em dólar e feitos fora,  por isso pra eles funciona isso e pra nós não...

Quanto a carro, bom, aí eu velho filha da putice GIGANTE mesmo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

@setzer, a resposta de todas as suas perguntas se resume a desvalorização da moeda brasileira. Hoje no Brasil tudo é mais caro que 5-10 anos atrás porque a moeda perdeu valor nesse meio tempo, não necessariamente porque as empresas, a indústria, os produtores, etc, estão a cobrar mais para lucrar mais ou porque os impostos aumentaram. Mas sim, esses dois últimos casos podem ocorrer, mas de uma maneira geral é o que tem menos peso nos aumentos.

Outro factor clássico que influencia é a procura vs demanda, mas não só a nível local, mas mundial. Um exemplo atual é o arroz. Com o dólar nas alturas e a demanda externa do produto, é melhor o produtor brasileiro exportar e receber em dólar, lucrando mais, do que vender no mercado interno. Então para equiparar um pouco com esse ganho a mais, o produto vendido internamente acaba ficando mais caro. 

Na outra pergunta que tu fizeste do porquê nos EUA um produto custa o mesmo do que alguns anos atrás, é porque a moeda desvalorizou muito pouco ou nem isso, as vezes ela pode ter ganho valor frente a outras moedas, assim como acontece com o Euro por exemplo, e bem diferente do que acontece com o Real. 

Duas formas de se medir a desvalorização da moeda é usar o índice da inflação num período e a cotação do dólar e/ou Euro. 

Agora se tu queres saber a raiz do problema que faz com que o real se desvalorize é complicado, pois há uma série de factores que podem influenciar nisso. 

1 hora atrás, Erminio disse:

Fando só por mim, vejo claramente que o certo seria pegar minha família e ir embora daqui, mas ser imigrante em outra terra não me parece muito bom, nem fácil.

Foi justamente o que eu fiz, e digo mais, foi uma das melhores decisões que eu tomei em minha vida.

E não tanto por mim ou para a mulher, mas mais pelo meu filho para ter uma vida mais digna, com melhores possibilidades no futuro e com mais segurança. 

  • Like 2
  • Upvote 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Cara, no brasil as coisas sempre estão subindo. E agora com o dólar subindo até games usados que foram comprados lá com o dólar estava a 2 reais estão subindo também.

Não digo pelo preço dos carros que usaram como exemplo acima, mas no casos dos games se o dólar baixar a oferta aumenta e os preços caem muito mais rápido. Lembro que por volta de 2013 tinha promoção de PS3  por 600 reais, hoje em dia um usado com caixa custa mais do que isso - mania do povo sempre comparar as coisas usadas com as novas. Fora que tem o paraguaí que já ta reabrindo e lá você consegue comprar por uma preço mais justo 

Edited by FabricioGRK

Share this post


Link to post
Share on other sites

O problema não é que o dólar subiu.

É que o real desabou.

Até o rublo russo se valorizou 30% perante o real.

Por quê? Porque houve a maior fuga de capitais da história do Brasil.

Quote

1. Entre janeiro e agosto deste ano, US$ 15,2 bilhões deixaram o Brasil. Trata-se do maior volume para o período desde 1982, quando o Banco Central começou a colecionar a estatística.

2. Os investidores estrangeiros retiraram R$ 87,3 bilhões da Bolsa brasileira entre 1º de janeiro e o último dia 17 de setembro. A cifra corresponde a quase o dobro dos R$ 44,5 bilhões que saíram durante todo o ano passado. É a maior fuga da série, inaugurada em 2008.

 

Share this post


Link to post
Share on other sites

so duvidas :=:

fora dos EUA em paises como o Japao  onde e ou era a casa das criadoras dos videogames os precos sao caros? por que la sai a maioria das versoes exclusivas ou colecionador tematicas.

um amigo me disse que hoje a maioria das coisas no japao sao fabricaas na china (boa)  e outros paises asiaicos (dizem ser melhor) por ser ao lado faz diferenca no preco?

na europa agora agora em euro mudou algo?

Share this post


Link to post
Share on other sites

Fui comprar um gamezinho pra testar um tal de Retroid Pocket 2 vi o vídeo na internet achei interessante e o preço legal $90 doletas contando com o frete...

Quando fiz a conversão pra real eu deixei pra lá... :fodase::alright:

https://www.goretroid.com/collections/frontpage/products/retroid-pocket-2-handheld-retro-gaming-system?variant=35974614188192

Numa época não tão distante que o dólar girava entre 3 e 4 reais eu pegaria tranquilo!

Share this post


Link to post
Share on other sites
6 horas atrás, Mega. disse:

Fui comprar um gamezinho pra testar um tal de Retroid Pocket 2 vi o vídeo na internet achei interessante e o preço legal $90 doletas contando com o frete...

Quando fiz a conversão pra real eu deixei pra lá... :fodase::alright:

https://www.goretroid.com/collections/frontpage/products/retroid-pocket-2-handheld-retro-gaming-system?variant=35974614188192

Numa época não tão distante que o dólar girava entre 3 e 4 reais eu pegaria tranquilo!

Não cheguei a ver a fundo.. Mas só por ser Android eu já ficaria com um pé atrás.. Sempre rola um inputlag.. 

Eu fiquei mais interessado naqueles que usam um rasp3 mais compacto.. Mas o preço Tb não tá ajudando 

Share this post


Link to post
Share on other sites
15 horas atrás, E182 disse:

Não cheguei a ver a fundo.. Mas só por ser Android eu já ficaria com um pé atrás.. Sempre rola um inputlag.. 

Eu fiquei mais interessado naqueles que usam um rasp3 mais compacto.. Mas o preço Tb não tá ajudando 

Por isso mesmo desisti, pois pagar 500 naros pra testar não vai rolar... Mas fiquei impressionado com as possibilidades como a saída HDMI e com a qualidade dos botões em um vídeo que vi, além da paleta de cores serem bem nostálgicas.

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 24/09/2020 at 13:38, Erminio disse:

Gostaria de elaborar melhor um comentário em um tópico bem elaborado como esse, mas na verdade estou tão cansado disso tudo.

O Brasil trata muito mal seus filhos. É um país que tem mantido castas superiores desde sempre e se você não é dessas classes você está fudido.

A maioria dos colegas de fórum tem uma situação um pouco melhor, somos privilegiados em um país de miseráveis e ignorantes, mas estamos tão longe das famílias que mandam nessa terra.

Falando só por mim, vejo claramente que o certo seria pegar minha família e ir embora daqui, mas ser imigrante em outra terra não me parece muito bom, nem fácil.

Então, como o bosta que eu sou, continuo aqui pagando meus impostos para sustentar e multiplicar a riqueza das castas dominantes e dando graças a Deus por ter uma condição um pouquinho melhor que a grande maioria das população. Me sujeitando as situações que você comentou aí para cima e a tantos outros absurdos que vemos diariamente.

Não sei se era por esse lado que você imaginava encaminhar a conversa, se não era, por favor ignore.

No mais, parabéns pelo tópico, tenho pensado muito sobre isso ultimamente.

Eu apostei muito no Brasil, mesmo nunca gostando tanto eu me esforcei muito para ter uma vida melhor. Tudo pra mim mudou quando fui demitido da Volvo na crise de 2015, parei para pensar todo o esforço que tinha feito e os resultados medíocres que recebia em troca (ter um apartamento velho perto de uma favela, um carro popular sem qualquer segurança e doenças físicas e psicológicas devido a burnout). Passei a dedicar minha energia para ir embora. Morei no Canadá e atualmente em Portugal, e cara, como a vida é mais tranquila para pessoas que se esforçam aqui fora. Você imediatamente recebe segurança e paz de espírito, preços honestos em tudo (comprei um ps5 e nem senti no orçamento, fora que ir ao mercado é dar risada da qualidade alta e preços baixos de quase tudo).

Entre um país e outro, morei 2 anos no Brasil. Cara, não dá mais. Recomendo a todos que puderem sair da américa do sul, nem que seja por algumas semanas para ver como a vida pode ser diferente.

Não é o paraíso e tem N problemas nos outros países, mas saber que não vai ser morto por causa de algum celular de bosta ajuda muito.

 

Conversei com meu colega @Jin Kazama que também está aqui na Lusolândia, senti que o sentimento dele é parecido

Em 24/09/2020 at 14:42, setzer disse:

 

Perfeito, penso igual a você. Muitas vezes dá vontade de abandonar tudo aqui no Brasil e tentar outra vida nos EUA. O problema é que não somos bem vistos lá, já que, além de brasileiros, estaríamos indo para roubar empregos de americanos. Mas que volta e meia me dá vontade, isso dá. Inclusive tenho um amigo próximo que há 2 anos atrás fez isso e está até se dando bem. Mora de aluguel ainda, porém numa casa bonita e de bom tamanho, tem dois carros bons na garagem, e tem trabalhado no ramo de reformas residenciais por lá (aqui ele tinha uma empresa de fabricação e instalação de gesso, que teve que fechar, com dívidas).

E penso nisso pois realmente aqui temos que aceitar tudo. Aceitar ganharmos pouco, aceitar sermos tributados alto em tudo, aceitar que mesmo assim não temos segurança, saúde, edução, etc... enfim, tudo que a gente já está cansado de saber e que parece que não tem jeito, nunca vai mudar.  

 

Antes de começar a estudar mais, eu tb só pensava em EUA. Tem outros países bons, dependendo do que você busca pra sua vida. Portugal não se ganha muito, mas a qualidade de vida supera do Canadá e infinitamente a do brasil, além que facilitam bastante para brasileiros aqui. 

Caso tenha interesse:

 

 

Edited by Mêntai
  • Like 3

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 24/09/2020 at 13:38, Erminio disse:

Falando só por mim, vejo claramente que o certo seria pegar minha família e ir embora daqui, mas ser imigrante em outra terra não me parece muito bom, nem fácil.

São vários fatores que determina a dificuldade ou não disso, como:

1- Ser flexível e sair da zona de conforto durante algum tempo (vender tudo que eu tinha foi o que mais doeu, virar minimalista que me auxiliou)

2- O que você pode oferecer ao mercado de trabalho (se fala inglês preferencialmente, sua profissão e conhecimentos)

3- Sua resiliência mental (tudo será diferente, sentir homesick, se adaptar em outras culturas)

4- Não entrar em grupos de brasileiros em outro país, ao menos nos primeiros meses (assim vc vai mudar de endereço apenas, não de país)

5- Se quer ir legal ou ilegalmente, e o que aceitará como vai ser tratado nas duas opções.

6- Seu sotaque e cor de pele (sim, tem racismo em todo mundo, de todas as cores não somente negra)

7- Seu mindset: No começo minha esposa tinha o pensamento do "imigrante sofredor", muito da cultura brasileira em especial das novelas. Mesmo com o ingles capenga dela, ganhava o suficiente para pagar o aluguel e ter um carro popular (que no canadá era um cruze turbo)

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
25 minutos atrás, Mêntai disse:

Morei no Canadá e atualmente em Portugal, e cara, como a vida é mais tranquila para pessoas que se esforçam aqui fora. Você imediatamente recebe segurança e paz de espírito, preços honestos em tudo (comprei um ps5 e nem senti no orçamento, fora que ir ao mercado é dar risada da qualidade alta e preços baixos de quase tudo).

Não é o paraíso e tem N problemas nos outros países, mas saber que não vai ser morto por causa de algum celular de bosta ajuda muito.

Conversei com meu colega @Jin Kazama que também está aqui na Lusolândia, senti que o sentimento dele é parecido

 

 

Assino em baixo, é tudo exatamente da forma que dissestes. 

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
Em 25/09/2020 at 19:16, Dav disse:

so duvidas :=:

fora dos EUA em paises como o Japao  onde e ou era a casa das criadoras dos videogames os precos sao caros? por que la sai a maioria das versoes exclusivas ou colecionador tematicas.

um amigo me disse que hoje a maioria das coisas no japao sao fabricaas na china (boa)  e outros paises asiaicos (dizem ser melhor) por ser ao lado faz diferenca no preco?

na europa agora agora em euro mudou algo?

vejo bastante versao de colecionador aqui nas lojas da europa, mas se for xbox provalvemente ta encalhado haha

 

preços compráveis, nada de surreal

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
3 horas atrás, Daileon disse:

Eu só não vou porque tenho 2 filhos mesmo.

me questiono se vale a pena ter filhos nessa bosta de pais... ja to com 39 anos e nao consigo ver horizontes melhores num prazo de 10 anos

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites
17 horas atrás, Daileon disse:

Eu só não vou porque tenho 2 filhos mesmo.

Dois filhos e mãe e sogra doentes, então não rola por hora mesmo. Mas eu moro no interior, muito dos problemas relatados tenho sorte de não ter aqui.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Nunca pensei em morar em Portugal, mesmo facilitando muito a nossa língua ser a "mesma". Porém no Canadá é outro lugar que tenho bastante vontade. @Mêntai, lá no Canadá é fácil conseguir visto para morar? 

Como o @PekSGN disse, eu também não me preocupo tanto pela segurança, já que morando no interior a gente não tem tanto essa preocupação. 

A maior decepção fica por conta da gente se esforçar tanto para ter um padrão de vida "ok". Não acho justo isso e parece que só vem piorando a cada dia.

  • Like 2

Share this post


Link to post
Share on other sites

Aí galera, foi mal mas vou vomitar um desabafo aqui.

Brasil é uma escrotidão do caralho... Sou desenvolvedor desde os 17 anos, hoje tenho 36. Passei pelo Delphi, Java, ASP, .NET, Sharepoint, mais uma porrada de outras linguagens, tenho experiência com um trilhão de frameworks, tenho uma carreira maneira, nem DBA costuma manjar de SQL Server igual eu manjo. Tenho duas pós graduações, além de mestrado e doutorado em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ. Trabalhei em empresas gigantes, tenho um know-how bom pra caramba, dei aula no nível superior e MBA, dei palestras em congressos nacionais e internacionais e tal... E no final do mês não vejo isso se traduzindo num salário que eu acho justo.

Não estou dizendo que sou melhor do que ninguém, e também não posso RECLAMAR... Tem nego aí que tá fodidaço, mas porra... Qual é... Eu acho que eu devia ganhar bem mais do que eu ganho.

Tem gente que diz que em determinado momento da vida eu devia ter seguido um caminho mais de gestão, mas porra... Não tenho o menor tesão nessas porras. E eu nem sei se eu seria bom gerenciando os outros. Eu meio que só sei fazer uma coisa e sou bom nisso. Não tenho caô com aprender novas tecnologias e tal... Um moleque de 23 anos que trabalha aqui comigo manja de Python e eu estou aprendendo com ele, eu me amarro nessas paradas e não tenho a menor vergonha de chegar pra um garoto desses e mandar "vem me ensinar essa parada aqui, moleque - virei seu estagiário". Sei lá, eu acho que pela minha carreira, pela minha história, eu devia ser mais valorizado ($$$).

Enfim, foi mal bandidagem... Foi só um desabafo mesmo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
46 minutos atrás, ragecom disse:

Aí galera, foi mal mas vou vomitar um desabafo aqui.

Brasil é uma escrotidão do caralho... Sou desenvolvedor desde os 17 anos, hoje tenho 36. Passei pelo Delphi, Java, ASP, .NET, Sharepoint, mais uma porrada de outras linguagens, tenho experiência com um trilhão de frameworks, tenho uma carreira maneira, nem DBA costuma manjar de SQL Server igual eu manjo. Tenho duas pós graduações, além de mestrado e doutorado em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ. Trabalhei em empresas gigantes, tenho um know-how bom pra caramba, dei aula no nível superior e MBA, dei palestras em congressos nacionais e internacionais e tal... E no final do mês não vejo isso se traduzindo num salário que eu acho justo.

Não estou dizendo que sou melhor do que ninguém, e também não posso RECLAMAR... Tem nego aí que tá fodidaço, mas porra... Qual é... Eu acho que eu devia ganhar bem mais do que eu ganho.

Tem gente que diz que em determinado momento da vida eu devia ter seguido um caminho mais de gestão, mas porra... Não tenho o menor tesão nessas porras. E eu nem sei se eu seria bom gerenciando os outros. Eu meio que só sei fazer uma coisa e sou bom nisso. Não tenho caô com aprender novas tecnologias e tal... Um moleque de 23 anos que trabalha aqui comigo manja de Python e eu estou aprendendo com ele, eu me amarro nessas paradas e não tenho a menor vergonha de chegar pra um garoto desses e mandar "vem me ensinar essa parada aqui, moleque - virei seu estagiário". Sei lá, eu acho que pela minha carreira, pela minha história, eu devia ser mais valorizado ($$$).

Enfim, foi mal bandidagem... Foi só um desabafo mesmo.

Olá,

Área técnica no Brasil, é somente assim que você comentou. A única forma de aumentar seu  salario e progredir na carreira É em cargo gerencial, porque o país não valoriza e não incentiva pesquisa e/ou desenvolvimento tecnológico e por esta razão, não importa qual seja o seu nível técnico... você irá bater no teto e só sobe se virar gerente.

 

Em outros países, determinados níveis de especialização técnica garantem salários até acima de "chefes", mas aqui infelizmente, isso praticamente não ocorre.

 

Sou mais velho do que você e tenho mais "tempo de histórico" e o panorama é exatamente o mesmo.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, ragecom disse:

Aí galera, foi mal mas vou vomitar um desabafo aqui.

Brasil é uma escrotidão do caralho... Sou desenvolvedor desde os 17 anos, hoje tenho 36. Passei pelo Delphi, Java, ASP, .NET, Sharepoint, mais uma porrada de outras linguagens, tenho experiência com um trilhão de frameworks, tenho uma carreira maneira, nem DBA costuma manjar de SQL Server igual eu manjo. Tenho duas pós graduações, além de mestrado e doutorado em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ. Trabalhei em empresas gigantes, tenho um know-how bom pra caramba, dei aula no nível superior e MBA, dei palestras em congressos nacionais e internacionais e tal... E no final do mês não vejo isso se traduzindo num salário que eu acho justo.

Não estou dizendo que sou melhor do que ninguém, e também não posso RECLAMAR... Tem nego aí que tá fodidaço, mas porra... Qual é... Eu acho que eu devia ganhar bem mais do que eu ganho.

Tem gente que diz que em determinado momento da vida eu devia ter seguido um caminho mais de gestão, mas porra... Não tenho o menor tesão nessas porras. E eu nem sei se eu seria bom gerenciando os outros. Eu meio que só sei fazer uma coisa e sou bom nisso. Não tenho caô com aprender novas tecnologias e tal... Um moleque de 23 anos que trabalha aqui comigo manja de Python e eu estou aprendendo com ele, eu me amarro nessas paradas e não tenho a menor vergonha de chegar pra um garoto desses e mandar "vem me ensinar essa parada aqui, moleque - virei seu estagiário". Sei lá, eu acho que pela minha carreira, pela minha história, eu devia ser mais valorizado ($$$).

Enfim, foi mal bandidagem... Foi só um desabafo mesmo.

Eu tbm não tenho trejeito pra cargo de gestão.

Eu também tenho uma função BEM especifica na cadeia de desenvolvimento de produtos eletrônicos, tenho 20 anos na área já, fiz engenharia pois era o caminho natural, mas se eu sair da minha função pra atuar "como engenheiro" to fudido :P , aqui temos o chefe da seção, que não manja nada do que fazemos, mas pelo menos ele tem plena ciência disso e divide umas tarefas chaves, qualquer desenvolvimento técnico e consulta externa, eu resolvo, distribuição de trabalho ( somos 10 na equipe ) é com um colega meu que tem know how pra dizer se pode e se da tempo. Obvio, o chefe ganha mais :lol: . Mas pelo menos, atrapalha pouco. 

E sim, eu podia ganhar um pouco a mais kkk.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites
1 hora atrás, ragecom disse:

Aí galera, foi mal mas vou vomitar um desabafo aqui.

Brasil é uma escrotidão do caralho... Sou desenvolvedor desde os 17 anos, hoje tenho 36. Passei pelo Delphi, Java, ASP, .NET, Sharepoint, mais uma porrada de outras linguagens, tenho experiência com um trilhão de frameworks, tenho uma carreira maneira, nem DBA costuma manjar de SQL Server igual eu manjo. Tenho duas pós graduações, além de mestrado e doutorado em Computação de Alto Desempenho pela UFRJ. Trabalhei em empresas gigantes, tenho um know-how bom pra caramba, dei aula no nível superior e MBA, dei palestras em congressos nacionais e internacionais e tal... E no final do mês não vejo isso se traduzindo num salário que eu acho justo.

Não estou dizendo que sou melhor do que ninguém, e também não posso RECLAMAR... Tem nego aí que tá fodidaço, mas porra... Qual é... Eu acho que eu devia ganhar bem mais do que eu ganho.

Tem gente que diz que em determinado momento da vida eu devia ter seguido um caminho mais de gestão, mas porra... Não tenho o menor tesão nessas porras. E eu nem sei se eu seria bom gerenciando os outros. Eu meio que só sei fazer uma coisa e sou bom nisso. Não tenho caô com aprender novas tecnologias e tal... Um moleque de 23 anos que trabalha aqui comigo manja de Python e eu estou aprendendo com ele, eu me amarro nessas paradas e não tenho a menor vergonha de chegar pra um garoto desses e mandar "vem me ensinar essa parada aqui, moleque - virei seu estagiário". Sei lá, eu acho que pela minha carreira, pela minha história, eu devia ser mais valorizado ($$$).

Enfim, foi mal bandidagem... Foi só um desabafo mesmo.

A real é que você tem que se preparar para ser não só "não mais valorizado" como DES-valorizado, porque povo que "manda" vê quem "trabalha" como gente que escolheu não se dar bem na vida, e um quarentão que na visão deles escolheu isso não deve ser lá grandes coisas né... E isso não é uma visão de Brasil não, é internacional.

Voce NUNCA vai encontrar um engenheiro ganhando mais que o gerente, a não ser que o cara seja estrelinha por outros motivos, mas considerando apenas o TRABALHO isso não vai rolar.

É a visão de um engenheiro que está tentando mudar o rumo da carreira em uma empresa americana.

  • Like 1

Share this post


Link to post
Share on other sites

Join the conversation

You can post now and register later. If you have an account, sign in now to post with your account.

Guest
Reply to this topic...

×   Pasted as rich text.   Paste as plain text instead

  Only 75 emoji are allowed.

×   Your link has been automatically embedded.   Display as a link instead

×   Your previous content has been restored.   Clear editor

×   You cannot paste images directly. Upload or insert images from URL.

Loading...
Sign in to follow this  

×
×
  • Create New...